Com linha Euro 6, ônibus Scania com motor dianteiro ou biarticulado só serão produzidos por meio de encomendas especiais

Montadora continua apostando na configuração de 15 metros para urbanos e “maior potência do mercado” para rodoviários mostra que empresa foca ainda mais nos segmentos de pesados

ADAMO BAZANI

Após o desempenho no mercado tímido do F250HB, ônibus de motor dianteiro da Scania lançado em 2012 com o surgimento das normas de restrição à poluição Euro 5; na era Euro 6, que entra em vigor no Brasil em janeiro de 2023, a montadora sueca com sede brasileira em São Bernardo do Campo (SP) demonstra que sua vocação atual é nos segmentos de ônibus pesados com motorização traseira.

Situação bem diferente, por exemplo, dos anos 1990, quando o F113 e o S113 eram comuns em carrocerias como Caio Vitória, Marcopolo Torino, Comil Svelto e Thamco Dinamus, nos serviços urbanos, e causavam preocupação para as concorrentes.

O Diário do Transporte mostrou em primeira mão na manhã desta sexta-feira, 22 de julho de 2022, o lançamento da nova gama de chassis já produzidos de acordo com os padrões Euro 6.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/07/22/scania-lanca-geracao-de-onibus-euro-6-com-ate-500-cavalos-de-potencia/

O destaque foi o modelo rodoviário K500 8×2, de quatro eixos, com 500 cavalos, segundo a Scania, a maior potência em ônibus no mercado brasileiro.

Na apresentação sobre a gama de urbanos, os executivos da marca destacaram que os novos modelos podem ser até 10% mais econômicos quanto ao consumo de combustível e também enfatizaram a possibilidade de uso de HVO (um tipo de biocombustível sintético), biodiesel e gás natural/biometano, além, claro, do diesel.

Em nota, a Scania confirmou que os ônibus de motor dianteiro, incluindo os biarticulados, não serão descontinuados, mas também não estarão em série, necessitando de encomendas especiais.

“A linha F de motores dianteiros urbanos e o modelo biarticulado continuam disponíveis no portfólio para atender a demandas específicas e programadas.”

Já a aposta na versão de 15 metros do urbano, maior que o convencional (12m a 13,2 m) e menor que o articulado (a partir de 18 m), continua firme, tanto é que a geração Euro 6 do modelo ganhou um novo eixo direcional.

Os modelos de 15 metros Euro 6 ganharam um novo eixo direcional com sistema eletro-hidráulico e de menor número de componentes, que apresenta peso reduzido, ganho de espaço e menor desgaste de pneus.

A Scania continua oferecendo também modelos articulados na era Euro 6: o K 320 IB 6X2/2 e o K 340 IB 6X2/2 (340 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.100-1.400).

MODELOS EURO 6:

A linha será a seguinte para rodoviários:

K280 4×2
K280 4×2 Gás Natural atural/Biometano
K340 4×2 Gás Natural/Biometano
K360C 4×2
K370C 4×2 ou 6×2
K410 6×2
K450 8×2
K500 8×2

Para os urbanos, a linha será a seguinte:

K280 4×2
K280 4×2 Gás Natural/Biometano
K320 6×2/2
K360 6×2*4
K340 6×2/2 Gás Natural Biometano
K340 6×2*4 Gás Natural/Biometano.

Em nota, a Scania detalha os modelos:

Em nota, a Scania traz mais dados dos veículos.

As soluções Scania disponibilizam chassis de configurações de rodas 4×2, 6×2 e 8×2 (linha rodoviária) e 4×2, 6×2*4 e 6×2/2 (linha urbana). As motorizações, que podem ser abastecidas com diesel, HVO ou biodiesel, são de 9 e 13 litros, de 5 e 6 cilindros, trazem novas potências de 280, 320, 370, 410, 450 e 500 cavalos (rodoviários) e de 280 e 320cv, para os urbanos. Também há as opções de 280cv e agora de 340 cv (antes era de 320cv) nas pioneiras versões movidos a gás (natural e/ou biometano). Os torques variam de 1.350Nm a 2.550Nm.

 K 320 4×2 (320 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 4×2 (340 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.000-1.400)

São indicados para o fretamento e linhas curtas. Em razão do alto torque (1.600Nm), os modelos possibilitam aos clientes excelentes resultados operacionais pela robustez do conjunto e baixo consumo de combustível. O 340cv é movido a gás.  

K 370 4×2 (370 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 1.900Nm @900-1.340)

Tem tudo para continuar a trajetória de sucesso do antecessor (K 360) e ser um dos mais vendidos da marca. É uma ótima opção para carrocerias de 14 metros. A logística de transporte e a regulamentação das linhas interestaduais estão levando os empresários a escolher modelos mais rentáveis, migrando da tração 6×2 para a 4×2 (de 14 metros e até 50 lugares). Indicado para a aplicação rodoviária de curtas, médias e longas distâncias. O torque elevado a baixas rotações (1.900Nm) assegura uma excelente força de arranque e aceleração para uma dirigibilidade excepcional em condições de tráfego e difíceis acessos.

K 370 6×2 (370 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 1.900Nm @900-1.340)

K 410 6×2 (410 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.150Nm @900-1.340)

Além de serem opções rentáveis para a operação rodoviária de média e longa distância, esses dois modelos também são ideais para o turismo e o fretamento.

 K 450 8×2 (450 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.350Nm @900-1.340)

K 500 8×2 (500 cv de potência @ 1.800rpm / torque: 2.550Nm @925-1.340)

A solução 8×2 de 15 metros é um sucesso pioneiro da marca, desde novembro de 2016, para atender a legislação respectiva. Com este modelo, os empresários conseguem transportar mais pessoas nas linhas interestaduais por viagem, com importante redução de custos. São opções DD (double decker, dois andares). A Scania é a líder no segmento desde o início. O K 500 passa a ser o ônibus mais potente do Brasil.

 Nova Geração de ônibus Scania P8/Euro6: modelos urbanos

 K 280 4×2 (280 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.400Nm @1.000-1.400)

K 280 4×2 (280 cv de potência @ 1.900rpm / torque: 1.350Nm @1.050-1.400)

piso normal ou baixo

Motor de cinco cilindros em linha com quatro válvulas em cada uma, possui opções padrón de 12,5/13,2 metros, com capacidade para até 115 passageiros. É uma ótima solução para o transporte eficiente nos grandes centros urbanos. Versão a gás (torque 1.350Nm)

K 320 IB/UB 6×2*4 (320 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 IB/UB 6×2*4 (340 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.100-1.400)

15 metros piso normal ou baixo

O motor gera um alto torque já em baixas rotações, que permite melhores resultados operacionais pela robustez do conjunto e menor consumo de combustível. A opção de 15 metros, com piso baixo, facilita o embarque dos passageiros.

Os modelos de 15 metros Euro 6 ganharam um novo eixo direcional
com sistema eletro-hidráulico e de menor número de componentes, que apresenta peso reduzido, ganho de espaço e menor desgaste de pneus.

Articulados

K 320 IB 6X2/2 (320 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.050-1.400)

K 340 IB 6X2/2 (340 cv de pot. @ 1.900rpm / torque: 1.600Nm @1.100-1.400)

Para aguentar o trabalho nas linhas troncais dentro dos corredores exclusivos é preciso que o ônibus tenha um chassi muito robusto, mas que também seja econômico. A Scania oferece os veículos ideais com suspensão eletrônica pré-ajustável, que facilita a adequação às plataformas, e sistema de articulação seguro com monitoração. Opção de veículo a gás de 340 cavalos.

Um diferencial Scania são os redutores de cubo que contam com engrenagens helicoidais, permitindo a redução de ruídos durante a operação.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo César disse:

    A Scania só teria sucesso com um motor dianteiro que fosse realmente pensado para o encarroçamento, visto que com o aumento de componentes, deixam o capo muito grande, alguns acessos laterais são mais adequados ao acesso como nos caminhões, bem diferente do que é por ônibus. Se utilizasse um motor de com os acessos repensados, talvez vingasse…

  2. Sergio C De Paiva disse:

    A Scania precisava mesmo trazer algo novo no mercado ,já que a Volvo tem crescido muito nesse segmento ,além claro da Mercedes que lidera o mercado em todos os segmentos de ônibus.

Deixe uma resposta