Tarifas do transporte metropolitano do Ceará estão 12% mais caras

Agência reguladora aprovou revisão extraordinária diante da “gravidade da situação econômica das empresas que atuam no serviço regular complementar interurbano”; novos preços estão em vigor a partir deste sábado (16) e atingem também ônibus interurbanos

ALEXANDRE PELEGI

As passagens dos ônibus do transporte metropolitano do Ceará estão 12% mais caras a partir deste sábado, 16 de julho. O mesmo índice foi aplicado para as linhas do serviço regular interurbano.

A Arce- Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce) aprovou a medida conforme resoluções publicadas nessa quinta-feira (14) no Diário Oficial do Estado.

Em Reunião Extraordinária no dia 07 de julho passado, a diretoria da Arce aprovou a determinou a antecipação da revisão extraordinária das tarifas do transporte rodoviário intermunicipal de passageiros para as linhas da modalidade serviço regular complementar interurbano, o mesmo valendo para as linhas interurbanas.

O reajuste antecipado de 12% foi determinado para:

I – Áreas operacionais que cobrem o Serviço Regular Complementar

Radial: linha regular que liga determinada localidade do Estado do Ceará ao Município de Fortaleza;

Regional: linha regular que liga localidades do Estado do Ceará, sem passar pelo Município de Fortaleza; e

CRAJUBAR: Denominação dada à conurbação dos Municípios de Barbalha, Crato, Juazeiro do Norte e Missão Velha.

II – Linhas da modalidade serviço regular interurbano. Válido para as seis áreas operacionais.

Para aprovar o reajuste, nos dois casos a diretoria da Arce cita “a gravidade da situação econômica das prestadoras de serviços de transporte as quais protocolaram inúmeros pedidos de revisão tarifária com o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro”.

As Resoluções nº 007 e nº 008 consideram também que “o quadro emergencial que se encontra o setor de transportes no Estado do Ceará poderá incidir em uma paralisação do sistema de transportes de passageiros”.

A questão dos custos do diesel também foi destacada como motivo para o aumento das passagens. “Considerando que de janeiro até maio do corrente ano, houve majoração do preço do óleo Diesel da ordem de 23% (vinte e três por cento), tendo por base os dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), além dos preços dos combustíveis, observa-se considerável e geral pressão inflacionária, de modo que o IPCA dos últimos 12 (doze) meses encontra-se maior do que o teto da meta fixada pelo Governo Federal”.

Leia as Resoluções na íntegra:


 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta