Eletromobilidade

Energia solar abastece 1300 pontos em rodovias concedidas do Estado de SP

Placas solares geram energia usada limpa em praças de pedágio

Painéis fotovoltaicos garantem operação de praças de pedágio, Painéis de Mensagem Variável (PMV), rede wi-fi, além de postos de Serviços de Atendimento ao Usuário, estão entre outros serviços

ALEXANDRE PELEGI

A Artesp, Agência de Transporte do Estado de São Paulo, destacou em comunicado à imprensa nesta semana, que mais de 1.300 pontos distribuídos nas rodovias concedidas têm suas operações abastecidas por energia solar.

Atualmente, a Agência fiscaliza mais de 11.100 quilômetros de rodovias concedidas no Estado.

Mesmo não sendo imposição contratual, a Artesp relata que o uso de políticas sustentáveis se tornou um dos itens de destaque na avaliação mensal que avalia o desempenho das empresas que concorrem ao prêmio de concessionária do Ano.

Atuante na área de meio ambiente da Diretoria de Investimentos da Agência, Pedro Humberto Romanini ressalta que a energia solar é uma fonte totalmente limpa que evita o uso de qualquer outro componente que possa gerar gases de efeito estufa na atmosfera.  “Além dos benefícios ao meio ambiente, as ações de sustentabilidade empregadas nas rodovias concedidas impactam também na economia de recursos, que podem ser aplicados em outros benefícios aos usuários”, reforça Romanini.

Para produzir a energia solar a Artesp explica que é necessário a implantação de painéis fotovoltaicos nos pontos específicos em que será utilizada. “A energia é gerada pelas placas e conduzida a um equipamento que a transformará em corrente elétrica, que será distribuída para os pontos de consumo e equipamentos, como, no caso das rodovias, as redes de wi-fi, telefones de emergência e praças de pedágio, por exemplo”, explica o comunicado.

LOCAIS COM ENERGIA SOLAR

Rodovia Carvalho Pinto = Em São José dos Campos, a usina solar instalada no km 92 pela Ecopistas opera com 240 painéis de captação solar e tem previsão de gerar 11.656,20 kWh/mês e 135,7 MWh ao ano, o que seria semelhante ao consumo de 77 casas. Isso fará com que a concessionária deixe de emitir aproximadamente 15,5 toneladas de CO² na atmosfera por ano, o equivalente a plantar 230 árvores.

Rodovia dos Tamoios = a unidade do Serviço de Atendimento ao Usuário, instalada no km 48, é totalmente sustentável e é abastecida por 65 painéis solares com capacidade de geração de 22,440 KWp.

Anchieta/Imigrantes = principal ligação da capital paulista com o litoral, o Sistema SAI (Anchieta/Imigrantes) emprega dois tipos de energia solar: o on grid e o off grid. No primeiro caso a geração está conectada à rede pública e, quando se produz mais energia do que o necessário, parte é devolvida e transformada em créditos para uso futuro. Já o off grid não possui conexão com a rede pública e é utilizada para alimentação de equipamentos nas rodovias, como painéis eletrônicos. No sistema SAI, os recursos sustentáveis são utilizados em cerca de 260 pontos.

Rodovias da região de Marília e Ribeirão Preto = a energia limpa sustenta 100% de toda necessidade energética dos equipamentos em operação nos 570 quilômetros da malha administrada pela Entrevias. Isso inclui oito praças de pedágio, além de câmeras de monitoramento (CFTV) e sistemas de análise de tráfego (SATs), com a geração de até 2,2 mil MW/ano, equivalente ao consumo de mais de 1.200 residências.

Rodovias da região Centro Norte = são 380 km de rodovias sob gestão da concessionária Intervias, em que se utiliza 100% de energia limpa na operação de 414 pontos. Outros 573 pontos da SP 255, entre Araraquara e Riversul, geridos pela Via Paulista, também já operam de forma totalmente sustentável.

AB Triânguilo = painéis solares fotovoltaicos geram a energia solar das rodovias sob gestão da concessionária,  como a Rodovia Washington Luís (SP 310), de São Carlos a Mirassol; a Rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP-326), de Matão a Bebedouro; e a SP 333 – Rodovia Carlos Tonani / Nemésio Cadetti / Laurentino Mascari / Dr. Mario Gentil, de Sertãozinho a Borborema. Anualmente são captados cerca de 200 MWh de energia por meio de painéis fotovoltaicos, que são utilizados na operação da malha.

Região de Campinas = rodovias D. Pedro I (SP-065) e Magalhães Teixeira (SP-083), operadas pela Rota das Bandeiras, possuem mais de 540 pontos que funcionam somente à base de energia solar. Nessa relação estão as bases do Serviços de Atendimento ao Usuário (SAU), call boxes e equipamentos para contagem e análise do fluxo de veículos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta