CPTM inaugura laboratório de “fabricação” de inovações digitais para o setor ferroviário

Segundo estatal, é a primeira iniciativa deste tipo no Brasil para o segmento; Trem desativado virou espaço para cursos e treinamentos

ADAMO BAZANI

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) inaugurou nesta quinta-feira, 30 de junho de 2022, o FabLab (Laboratório de Fabricação), que é um laboratório de “fabricação digital” para colocar em prática ideias, soluções e projetos digitalização e transformação digital elaborados por profissionais da estatal.

O laboratório funciona no complexo da Estação da Luz, que atende as Linhas 7-Rubi e 11-Coral e, segundo a CPTM, é o primeiro espaço deste tipo do setor ferrovia no Brasil.

No local, serão realizadas atividades de oficinas e cursos com acesso a ferramentas digitais, como cortadoras de vinil, laser, impressoras 3D (impressão de objetos) e fresadoras para cortar ou desbastar madeira, plásticos e isopor.

Entre os materiais que poderão ser construídos estão esculturas, robôs, peças para os mais variados fins.

Além de estar disponível para os empregados da CPTM, o laboratório será aberto para a comunidade em geral e instituições de ensino.

A CPTM diz que tem uma grande variedade de ativos, de diferentes épocas e fabricantes, que exige um complexo parque de manutenção. Por isso, o novo laboratório vai possibilitar construções de algumas peças no local.

“A lógica da ‘Cultura Maker — Faça Você Mesmo’, é não desperdiçar recursos e usar o material disponível com inteligência, promovendo modelos de negócios sustentáveis e com responsabilidade socioambiental. Cada vez mais, o cuidado com a sociedade e o meio ambiente vem sendo exigido e está integrado à estratégia ESG adotada pela companhia”, disse, em nota, o presidente da CPTM, Pedro Moro.

Inovagão

No ano passado, foi implantado em um trem desativado (série 5500) um espaço para treinamentos e cursos internos.

O veículo foi totalmente adaptado e reformado por uma equipe interna

A CPTM diz que o FabLab é um complemento desta iniciativa do carro ferroviário adaptado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta