Rodízio de veículos e proibição em faixas e corredores voltam ao normal nesta quarta (15) com suspensão de greve de ônibus em São Paulo

Assim, multas serão aplicadas normalmente

ADAMO BAZANI

A greve de ônibus em São Paulo foi suspensa e o rodízio municipal de veículos volta ao normal nesta quarta-feira, 15 de junho de 2022. Também voltam as proibições para tráfego de veículos leves em faixas e corredores de transporte coletivo.

A informação é da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Com isso, ficam proibidos carros de placas com finais 5 e 6 de circular pelo centro expandido da cidade de São Paulo das 7h às 10h e das 17h às 20h.

Somente nesta terça-feira (14), por causa da greve, o rodízio para carros com placas terminadas em 3 e 4 foi suspenso tanto na manhã como na tarde/noite.

Também somente nesta terça-feira (14), foi liberada a circulação dos carros em faixas e corredores de ônibus.

COMO FUNCIONA:

O rodízio municipal de veículos restringe a circulação de veículos no Anel Viário da Cidade nos períodos da manhã, das 7h às 10h, e da tarde, das 17h às 20h.

As restrições ocorrem de acordo com o dia da semana e o final das placas

Dia da Semana

Segundas

Feiras

Terças

Feiras

Quartas

Feiras

Quintas

Feiras

Sextas

Feiras

Placas finais

1 e 2

3 e 4

5 e 6

7 e 8

9 e 0

ÁREA DE RESTRIÇÃO:

Durante o rodízio, os veículos ficam impedidos de circular no Centro Expandido, incluindo as vias que delimitam o chamado Anel Viário, formado pelas marginais Tietê e Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Afonso D’Escragnolle Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, avenidas Tancredo Neves e Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Melo e Salim Farah Maluf.

MULTA E PONTOS:

Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação prevista no Código de Trânsito Brasileiro implica em infração de trânsito de nível médio, resultando em multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de quatro pontos no prontuário do motorista.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta