Implantação das obras da Área Calma de São Miguel Paulista tem licitação deserta

Projeto foi desenvolvido pela iniciativa Bloomberg, mas prefeitura não consegue torná-lo realidade. Foto: Cidade Ativa

Projeto na zona Leste integra o Plano de Segurança Viária da Capital e tem como objetivo a redução das mortes e acidentes graves nas ruas da cidade

ALEXANDRE PELEGI

Nenhuma empresa se interessou em participar da Concorrência Pública destinada à contratação de serviços especializados de engenharia para implantação das obras da Área Calma de São Miguel Paulista, no Município de São Paulo.

O projeto de responsabilidade da SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito, da prefeitura de São Paulo, abrange a requalificação urbana da área no centro do bairro da zona leste e a implantação de dispositivos de moderação de tráfego e priorização de pedestres e transporte público, por meio de intervenções de obra civil.

O certame, como noticiado pelo Diário do Transporte, foi realizado nessa sexta-feira, 10 de junho de 2022.

A Ata do certame, que considerou a licitação deserta, foi publicada no Diário Oficial do Município deste sábado (11).

HISTÓRICO

O Projeto de Requalificação Urbana e Segurança Viária de São Miguel Paulista – uma das principais centralidades da zona Leste de São Paulo, faz parte de uma série de iniciativas da -prefeitura com o objetivo de reduzir o número de mortos e feridos no trânsito, melhorar a mobilidade urbana e requalificar o espaço público.

Dentre essas iniciativas está a implantação de áreas de velocidade reduzida.

O programa, iniciado em 2013, consistiu na delimitação de 13 perímetros urbanos com velocidade máxima regulamentada em 40 km/h ou 30 km/h.

A medida visou aumentar a segurança dos usuários mais vulneráveis do sistema viário – pedestres e ciclistas – buscando a convivência pacífica e a redução do número de colisões e atropelamentos.

O projeto conta com as parcerias da Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito (BIGRS), Fundação Getúlio Vargas (FGV), Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), Associação Nacional de Gestores de Transporte Urbano – Iniciativa Global de Desenho de Cidades (NACTO-GDCI) e WRI Brasil.

O projeto de requalificação de São Miguel foi desenvolvido de forma conjunta entre as organizações parceiras e técnicos da Prefeitura de São Paulo, em especial a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-SP).

As ações consistem em diversas intervenções físicas na Área Calma de São Miguel, tais como: extensões e requalificação de calçada, estreitamentos de vias, travessias e interseções elevadas, lombadas, ilhas de refúgio, e a criação de uma praça.

Além disso, o escopo do projeto prevê melhorias na acessibilidade, pavimentação, drenagem, sinalização (horizontal, vertical e semafórica) e paisagismo.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta