Prefeitura de São Pedro da Aldeia (RJ) consegue na Justiça que Salineira fique mais 60 dias operando

Empresa pode recorrer e reclama que não há subsídios; já não é a primeira vez que viação ameaça abandonar os serviços

ADAMO BAZANI

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia (RJ) informa que justiça determinou nesta terça-feira, 07 de junho de 2022, que a Viação São Pedro, empresa responsável pelo transporte coletivo da cidade, mantenha o serviço por mais 60 dias, começando a contar desta quarta-feira, 08 de junho.

Como mostrou o Diário do Transporte, mais uma vez, a empresa do Grupo Salineira, anunciou em suas redes sociais que vai deixar de operar na cidade.

Não foi a primeira vez que isso acontece.

De acordo com o comunicado, a empresa informou nesta terça-feira que a prefeitura descumpriu o acordo de operação emergencial.

A questão mora no subsídio. A prefeitura enviou à Câmara Municipal um Projeto de Lei para subsidiar ao menos parte dos custos dos serviços, mas os vereadores ainda não votaram, uma vez que o projeto recebe contestações.

A Salineira, dona da Viação São Pedro, diz que a falta das complementações tarifárias mensais inviabiliza as operações e a manutenção.

Como também mostrou o Diário do Transporte, após muitas ameaças, a São Pedro parou de operar quando o poder público contratou uma empresa chamada V7BUS.

Mas a companhia nova não tinha ônibus e condições de prestar serviços.

Então, a prefeitura em 09 de maio de 2022 fez um novo contrato emergencial, com a Viação São Pedro (Salineira), para manter o serviço.

Uma das promessas foi o pagamento de subsídios.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/09/grupo-salineira-volta-a-operar-em-sao-pedro-da-aldeia-nesta-terca-10-e-v7bus-vai-ser-declarada-inidonea-para-nao-participar-de-outras-licitacoes/

Segundo a prefeitura, a ordem deve ser cumprida sob pena de pagamento de multa de R$ 25 mil por dia de descumprimento.

“Em vista da decisão judicial, a Prefeitura reafirma que está buscando a melhor forma de resolver o problema do transporte público o mais rapidamente possível e dentro da legalidade” – diz nota do poder público.

A empresa de ônibus pode recorrer.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta