Informe publicitário

A experiência de Barcarena (PA) na adoção do sistema de bilhetagem

O município de Barcarena, no Pará, está implementando pela primeira vez a bilhetagem eletrônica no transporte público. O sistema de transporte agora terá frota com validadores online funcionando como AVL, sistema para controle de fraude por biometria facial e plataforma de bilhetagem hospedada na nuvem pela Empresa 1.

O projeto representa um grande avanço para a cidade e vai melhorar muito a experiência da população com o transporte coletivo. Para falar com mais propriedade sobre o assunto, conversamos com os operadores das três cooperativas que atuam no transporte público do município.

Pedro Assunção, Presidente da Cobarta — Cooperativa Barcarenense de Transporte —, Gardene Fachin, Presidente da Cootransbar — Cooperativa de Transporte Regular e Alternativo de Barcarena — e Antônio Erys, Presidente da Cooptarvctur — Cooperativa de Transportes Alternativo, Regular e Turismo da Vila Dos Cabanos — contam um pouco sobre os desafios do transporte público, os motivos que levaram a implementar a bilhetagem e as perspectivas para o futuro da operação.


Sobre o transporte público de Barcarena

O sistema de transporte da cidade é operado por três cooperativas — Cobarta, Cootransbar e Cooptarvctur. Hoje, a operação conta com uma frota total de 100 veículos rodando na cidade. Juntas, as cooperativas atendem várias regiões do município e estão sempre mapeando a cidade e estudando formas de ampliar esse atendimento.

O transporte coletivo no município começou a ser operado há cerca de 20 anos com Kombis, que logo foram substituídas por vans e, em seguida, pelos ônibus e microônibus, que hoje compõem a frota.


Empresa 1: Quais foram as necessidades que levaram vocês a investir em tecnologia?

Pedro: Nós investimos em um sistema de bilhetagem eletrônica principalmente para organizar nossos processos e trazer mais comodidade para o usuário do transporte coletivo aqui em Barcarena.

Outra necessidade que tínhamos era dar às cooperativas condições de prestar informações ao poder público, confirmando que cumprem com suas obrigações enquanto operadores, principalmente em relação ao transporte de idosos, estudantes, entre outros.

Além disso, a bilhetagem vai nos permitir atender às demandas que, porventura, a prefeitura venha a exigir da gente — mudar rotas, fazer integrações, entre outras. Para o município de Barcarena é algo novo e tem dado muito certo. Hoje estamos aí com 60 dias de funcionamento com a bilhetagem.

Gardene: Queríamos dar mais qualidade ao serviço de transporte oferecido à população. Isso era uma das nossas prioridades. Queríamos também reduzir o número de transações em dinheiro. Além disso, precisávamos de uma solução que nos ajudasse a combater as fraudes no sistema.

Do ponto de vista do negócio, sentíamos a necessidade de garantir maior controle da arrecadação, a regulamentação de caixa, entre outras demandas gerenciais. Até mesmo para que a cooperativa passasse a ser enxergada como uma empresa.

Empresa 1: No cenário atual, quais são os maiores desafios e como a tecnologia pode ajudar o transporte público de Barcarena?

Antônio: Um dos grandes desafios que tínhamos, e acredito que o sistema de bilhetagem está chegando para auxiliar nesse campo, estava no controle dos benefícios para grupos como idosos e estudantes. Com a bilhetagem nós temos meios para coletar essas informações e repassar para a prefeitura.

Pedro: O Sigom Vision, que é o sistema de monitoramento por biometria facial e faz parte do nosso projeto com a Empresa 1, é uma ferramenta muito importante nesse aspecto para evitar fraudes.

Empresa 1: Do ponto de vista do negócio, quais eram as prioridades de vocês quando pensaram no projeto de implementação da bilhetagem com a Empresa 1?

Gardene: Precisávamos ter meios para sistematizar nossa tabela de cálculo e repassar para a prefeitura do município. Esse era um dos pontos.

Outra questão é que não tínhamos um sistema para gerenciar nossa operação, incluindo o monitoramento dos dados da frota, controle da arrecadação (como citei anteriormente) e gestão das tarifas.

Empresa 1: Quais são os planos para o futuro do transporte público de Barcarena?

Gardene: Temos planos de modernizar cada vez mais o nosso sistema de transporte para garantir mais previsibilidade para o usuário, oferecer outros meios para ele adquirir o crédito, como os aplicativos para celular, que facilitam muito esse processo.

Antônio: O que for de novidade, de atualizações que venham promover para o usuário mais facilidade, mais comodidade e venha facilitar a vida de quem usa o transporte público a gente vai estar de olho e avaliar a implementação. Com certeza, não vamos parar por aqui.

Continue lendo sobre modernização do transporte público. Saiba por que os operadores de transporte estão investindo em tecnologia para superar a crise pós-pandemia.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta