EMTU vai contratar serviços de gerenciamento para obras do Viaduto Carapicuíba, parte integrante do Corredor Metropolitano Itapevi

A estrutura vai interligar a avenida Desembargador Dr. Cunha de Abreu, o complexo viário da Lagoa e o viaduto que liga Carapicuíba a Barueri. Foto: Governo do Estado SP

Obra tem 2,2 km de viário e duas paradas de embarque e desembarque, e está localizada no trecho Carapicuíba – Osasco

ALEXANDRE PELEGI

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) abriu licitação para contratação de serviços de engenharia para apoio ao gerenciamento, supervisão, fiscalização e gestão ambiental para a execução das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba.

O aviso do certame foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 20 de abril de 2022.

Como mostrou o Diário do Transporte, a EMTU encerrou a licitação para a execução das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba, parte integrante do Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo, localizado no trecho Carapicuíba – Osasco na Grande São Paulo, em outubro de 2021.

A estatal homologou para o Consórcio Trail / A. Madeira o objeto da licitação ao preço de R$ 67 milhões (R$ 66.867.846,10).

O contrato de implantação do equipamento do Corredor Metropolitano inclui a execução das obras do Viaduto Carapicuíba, 2,2 km de viário e 2 paradas de embarque e desembarque, bem como a elaboração do projeto executivo. O objeto inclui também a aprovação junto à CPTM do projeto executivo do muro e do viaduto e a obtenção da LI (Licença de Instalação) do Viaduto Carapicuíba junto à CETESB.

Caberá à empresa contratada na nova licitação lançada hoje pela EMTU o gerenciamento, supervisão, fiscalização e gestão ambiental desse contrato.

A sessão pública será realizada no dia 29 de junho de 2022 às 10h30min, no Auditório do CECOM da EMTU em São Bernardo do Campo/SP.

O Edital completo está disponível no site http://www.emtu.sp.gov.br.


O corredor Itapevi-São Paulo passará pelos municípios de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba, Osasco e São Paulo. O traçado começa junto à Estação Itapevi, da CPTM, até Terminal Amador Bueno (Vila Yara), na divisa entre Osasco e São Paulo.

O novo sistema, com 23,6km de extensão, promoverá maior mobilidade à população por conta de sua integração com a rede metroferroviária.

Serão construídos novos terminais, estações de transferência, estações de embarque e desembarque e outras intervenções urbanas.

No trecho Carapicuíba – Osasco, no km 21, estão estão previstas duas estações de embarque e desembarque, um viaduto em Carapicuíba e alças de acesso, agora em fase de licitação.

O Terminal Luiz Bortolosso (Osasco – km 21) foi entregue em 2017, com seis plataformas, elevadores, escadas rolantes, banheiros e bilheterias.

Como mostrou o Diário do Transporte, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e a prefeitura de Carapicuíba, na Grande São Paulo, firmaram um termo de cooperação para remoção e atendimento de famílias que ocupam áreas onde deve ser instalado o viaduto Carapicuíba que integra o corredor.

A estrutura vai interligar a avenida Desembargador Dr. Cunha de Abreu, o complexo viário da lagoa e o viaduto que liga Carapicuíba a Barueri.

Relembre:

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta