CPTM contrata Alstom por R$ 43 milhões para sinalização da Linha 13-Jade no trecho Luz – Barra Funda

Sem licitação, empresa fará também adequação da modificação no PVS de Calmon Viana na linha 12-Safira e alteração no software para separação do sistema de controle das linhas 11 e 12

ALEXANDRE PELEGI

A Alstom foi contratada pela CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos para realizar serviços de engenharia especializada em projeto, fornecimento, implantação e modificação do Sistema de Controle Centralizado (SCC) para a linha 13-Jade trecho até Barra Funda.

Extrato do contrato realizado por inexigibilidade de licitação, ratificado pelo Diretor Presidente da CPTM, foi publicado neste sábado, 12 de fevereiro de 2022, no Diário Oficial do Estado.

O valor total dos serviços é de R$ 43 milhões (R$ 43.235.022,61), referente a maio/2021, com prazo de vigência de 36 meses.

Estão incluídos do contrato ações referentes às linhas 11-Coral e 12-Safira. Trata-se da adequação da modificação no PVS (Plano de Via Sinalizado) de Calmon Viana na linha 12 e alteração no software para separação do SCC das duas linhas.


A contratação se integra aos esforços do governo do estado de realizar o prolongamento da Linha 13 até o centro da capital.

Até o momento a CPTM já efetivou a contratação de três empresas para dar celeridade ao processo de extensão da Linha 13-Jade da Luz até a Barra Funda.

A Companhia de trens explica que a Linha 13-Jade foi concebida para conectar o segundo município mais populoso do estado, Guarulhos, à capital de São Paulo por meio de sistema ferroviário, contemplando o Aeroporto Internacional de Cumbica. No entanto, para chegar até a região central pelo serviço convencional, excluindo da menção o Expresso Aeroporto, o passageiro precisa se deslocar até a estação Brás e de lá seguir até Engenheiro Goulart ou vice-versa, para então usar de fato a linha 13, o que é desconfortável para o passageiro.

Com as obras finalizadas, o que se espera é uma melhor integração da Linha 13-Jade ao sistema metroviário de São Paulo, oferecendo mais conforto aos passageiros.

Isso porque parte da demanda de passageiros da linha 12 deverá passar para a linha 13 Jade a partir de Barra Funda ou Luz. Outra consequência será uma agilidade da passagem da linha Jade até seu trecho exclusivo, uma vez que entre Palmeiras-Barra Funda e Engenheiro Goulart ela utilizará as vias da Linha 11-Coral.

CONTRATAÇÕES

I = A CPTM assinou o contrato de prestação de serviços especializados de engenharia e arquitetura para a a supervisão dos projetos e o acompanhamento durante a execução das obras e serviços de extensão da Linha 13-Jade até a estação Palmeiras-Barra Funda.

Pelo valor de R$ 9,5 milhões (R$ 9.531.472,00), com base Junho/2021, o contratado foi o Consórcio SPL13, pelo prazo de vigência de 36 meses.

O Consórcio SPL13 é formado pelas empresas Planservi Engenharia Ltda, Progetto Engenharia Ltda e a Empresa Brasileira de Engenharia de Infraestrutura Ltda.

O Extrato do Contrato foi publicado na edição do Diário Oficial desta quinta-feira, 30 de setembro de 2021.

II = No dia 05 de agosto a Companhia assinou outro contrato, no valor de R$ 158 milhões, para as obras do prolongamento da linha 13-Jade para a Barra Funda. O prazo para a conclusão das obras é de 36 meses.

O Contrato foi assinado com o Consórcio Telar – Gros – Sprail Linha 13, composto pelas empresas Telar Engenharia e Comércio S.A., Gros Engenharia Eireli e Sprail Serviços Ferroviários Ltda.

III = A CPTM realizou ainda outra licitação para a supervisão das obras de expansão.  O certame está na fase de                 Julgamento das Propostas Técnicas, conforme publicação da Companhia nessa sexta-feira, 11 de fevereiro de 2022.

A próxima fase é a Sessão Pública destinada à abertura dos envelopes ”C” (Proposta Comercial), que ocorrerá no dia 21 de fevereiro de 2022.

As propostas técnicas classificadas:

1º Lugar: Consórcio TEP 12, composto pelas empresas Ductor Implantação de Projetos Ltda., Encibra S/A Estudos e Projetos de Engenharia e Planal Engenharia ltda – NT: 95,50;

2º Lugar: Consórcio Supervisor ES, composto pelas empresas EGIS – Engenharia e Consultoria Ltda. e SETEC Hidrobrasileira Obras e Projetos Ltda – NT: 90,75; e

3º Lugar: Consórcio Supervisor Linha 12 – Bauer – Tekhnites, composto pelas empresas L. A. Falcão Bauer Centro Tecnológico de Controle da Qualidade Ltda. e Tekhnites Consultores Associados Ltda – NT: 56,00.

 

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Antonio palacio disse:

    Como todas obras da Alstom de sinalização, vai demorar uns 12 anos.

Deixe uma resposta