Campinas (SP) institui nova identificação por QR Code para transporte por aplicativo

Objetivo é promover maior segurança. Foto: Divulgação.

Motoristas que prestam o serviço devem gerar o código no site da Emdec

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Campinas, no interior paulista, instituiu uma nova identificação visual para os veículos do transporte individual de passageiros por aplicativo.

Agora, a identificação é por meio de um QR Code. A mudança passou a valer a partir no início da semana.

O modelo instituído pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) e pela Setransp (Secretaria de Transportes) substitui a placa adesiva externa.

Segundo a Prefeitura, os motoristas que prestam o serviço no município já podem gerar o QR Code no site da Emdec, na seção “Transporte por Aplicativos”. É necessário informar CPF e placa do veículo.

Em seguida, o arquivo, que é gerado no formato PDF, deve ser impresso em papel sulfite ou adesivo e fixado no vidro dianteiro ou no painel frontal do veículo. Para abrir o arquivo, o condutor deve informar os seis primeiros dígitos do CPF.

Em nota, a administração municipal ressalta que a “tecnologia permitirá que os usuários do transporte por aplicativo e os agentes da Mobilidade Urbana consultem dados dos condutores cadastrados – nome, foto, placa, marca e modelo do veículo. As informações são fornecidas à Emdec pelas empresas operadoras do serviço”.

A extinção das placas de identificação fixadas nas portas dianteiras dos veículos atende a uma reivindicação da categoria. As mudanças foram regulamentadas pela Lei Municipal Nº 16.129/2021 e pela Resolução Nº 351/2021.

“O intuito é aumentar a segurança dos motoristas, já que o modelo anterior tinha mais visibilidade e a categoria ficava exposta a situações de violência. É mais segurança também para a população, que poderá consultar as informações dos condutores diretamente do celular”, explicou o presidente da Emdec, Vinicius Riverete, em nota.

IDENTIDADE VISUAL É OBRIGATÓRIA

Ainda segundo a Prefeitura, cada veículo deverá apresentar um único QR Code, contendo as informações relativas a todos os motoristas cadastrados para a prestação do serviço, se for o caso.

A identidade visual é elemento obrigatório para a prestação do serviço. No entanto, haverá um prazo de 30 dias para adaptação dos condutores. Nesse período, o sistema para geração do QR Code será amplamente divulgado pela Emdec.

CONSULTA

Para consultar os dados, a leitura do código de barras deverá ser feita pelo aplicativo da Emdec, em “Consulta de Transporte”, na opção “QR Code”.

É necessário habilitar o acesso à câmera do smartphone. Nessa primeira etapa, o usuário terá acesso à placa do veículo, nome dos condutores cadastrados e empresas para as quais prestam o serviço. Os demais dados serão disponibilizados gradativamente na medida em que forem fornecidos à Emdec pelas empresas.

BALANÇO

Atualmente, são 82.523 veículos e 57.310 condutores cadastrados para a prestação do serviço de transporte por aplicativo em Campinas. Esse número não representa, necessariamente, o total de condutores que efetivamente estão operando o serviço.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta