Paes volta atrás, confirma festa de Réveillon no Rio, mas haverá proibição a ônibus fretados

Ônibus no Rio de Janeiro

Fretados não poderão entrar na cidade a partir de 19h do dia 30 de dezembro; Ônibus comuns não terão reforço de frota; Rodoviários de linhas regulares não terão restrição de frota

ADAMO BAZANI

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, voltou atrás na sua decisão de proibir a festa de Réveillon na cidade e anunciou nesta quinta-feira, 09 de dezembro de 2021, que haverá celebrações na passagem do dia 31 de dezembro de 2021 para 1º de janeiro de 2022.

A Praia de Copacabana terá 16 minutos de queima de fogos que poderá ser vista presencialmente pelo público, mas não haverá shows musicais ao vivo. Pela orla serão espalhadas 25 torres de som com uma trilha gravada para acompanhar a queima de fogos.

Também haverá o estouro de fogos de artifício na Barra da Tijuca, Recreio, Flamengo, Ilha do Governador, Piscinão de Ramos, Bangu, Praia de Sepetiba, Parque Madureira e a Igreja da Penha.

ÔNIBUS DE FRETAMENTO:

O acesso de ônibus e vans de fretamento será proibido na cidade do Rio de Janeiro a partir de 19h de 30 de dezembro de 2021 com retorno previsto no dia 02 de janeiro de 2022.

A proibição vale para qualquer modalidade de fretamento, seja contratado por grupos em regime de circuito fechado ou por aplicativos.

ÔNIBUS RODOVIÁRIOS REGULARES:

Os ônibus regulares de linhas rodoviárias intermunicipais, interestaduais e internacionais não terão nenhum tipo de restrição

ÔNIBUS URBANOS:

Os ônibus urbanos vão operar normalmente, mas as rotas serão desviadas onde ocorrerem as queimas de fogos. A prefeitura informou que não haverá reforço de frota.

BLOQUEIOS:

Haverá interdições e desvios de rotas nos locais de queima de fogos.

A região de Copacabana terá bloqueios de acessos às 19h do dia 31 de dezembro de 2021. Já moradores, hóspedes de hotéis e pousadas, além de trabalhadores de estabelecimentos no local poderão ter acesso até as 22h, como ocorreu nos anos anteriores.

Adamo Bazani, jornalista especializam em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    O apocalipse ético e moral generalizado já consumado há tempos com a pandemia e já irreversível,em outras palavras,o mundo já acabou porque não tem nem nunca nem jamais teve nem terá ética,transparência,credibilidade,e principalmente,nunca nem jamais teve nem terá legalidade NENHUMÍSSIMA e esse criminoso atolado na Lava-Jato quer realizar Reveillon?Oras! Vão pra poothy@ kip@hiw!E no dia autoproclamado internacional de combate a essa praga apocalíptica da corrupção?Vão tomar no KHOOW!

Deixe uma resposta