BRT de Sorocaba tem 99,98% de índice de cumprimento de viagens

Ônibus de 23 metros no Terminal Vitória Régia

Número de reclamações está entre os mais baixos de transporte coletivo do País; Tecnologia, frota nova, capacitação profissional e infraestrutura dedicada estão entre as razões

ADAMO BAZANI

O sistema de corredores de ônibus rápidos (BRT) de Sorocaba, no interior paulista, tem conseguido números significativos quanto ao cumprimento de viagens.

De acordo com o consórcio operador, os dados que são acompanhados pela Urbes, que é o órgão gestor municipal, mostram que somente no mês de outubro deste ano de 2021, o índice de cumprimento de viagens do sistema foi de 99,98%. O balanço do mês de novembro ainda não foi concluído.

O resultado interfere em outro indicador importante para um sistema de transportes: a satisfação do passageiro e o índice de reclamações.

Em outubro de 2021, foram transportados 1,128 milhão de passageiros e houve apenas uma reclamação, segundo o Consórcio BRT Sorocaba.

Muitos podem pensar: mas operando em corredores, fica fácil cumprir viagens e deixar o passageiro satisfeito.

Mas, quem conhece transporte, sabe que só ter corredor não basta para ter uma eficiência na operação de serviços, muito embora, sem vias dedicadas, isso não seria possível.

De acordo com os diretores do Consórcio BRT Sorocaba, Niege Chaves e Manoel Magalhães Ferreira, uma conjunção de ações e investimentos podem explicar os altos índices de cumprimento de viagem e satisfação.

Entre estes fatores estão qualificação e satisfação dos trabalhadores do sistema, informações para os passageiros, infraestrutura, monitoramento, geração e gestão de dados (não basta gerar dados se depois não se sabe o que fazer com eles) e estratégias operacionais, além de frota nova, cuja idade média atual é inferior a um ano.

“Em todos os terminais, temos ônibus de reserva estrategicamente parados. Se percebemos pelo monitoramento que poderá haver algum atraso ou não cumprimento de viagem, já acionamos estes veículos e depois readequamos o serviço” – explicou Magalhães.

“A qualificação dos colaboradores é constante, o que mostra a importância do papel humano cada vez maior. A tecnologia é outro foco. Temos a integração de todas as funcionalidades e serviços tecnológicos de monitoramento e operação. Em nosso CCO, por exemplo, de fato fazemos o controle do sistema e intervimos com respostas rápidas a qualquer ocorrência” – disse Niege Chaves.

Ônibus de reserva de prontidão em terminais podem ser acionados a qualquer momento para garantir cumprimento de viagem

Outro índice que chama a atenção é a de evasão de receita, ou seja, passageiros sem pagar, que é baixo.

Entretanto, situações de gente que quer burlar o sistema sem ter direito à gratuidade podem ocorrer.

No sábado, 27 de novembro de 2021, o Diário do Transporte voltou ao sistema e verificou um destes casos ao vivo e a intervenção da equipe de monitoramento.

A reportagem estava no CCO quando o caso ocorreu.

Em uma das estações, dois jovens conseguiram entrar sem pagar para pegar o ônibus que se aproximava.

Uma das operadoras do CCO detectou em seu computador a ação dos jovens e fez o alerta.

Em seguida, outro operador acompanhou a movimentação dos rapazes e, remotamente, acionou o sistema de som e falou com eles. Tudo do CCO.

Os jovens fugiram.

O CCO funciona no Terminal Vitória Régia, do corredor Itavuvu, que foi inaugurado em 30 de agosto de 2020.

Operadora do CCO identifica evasão e já abre a ocorrência

Além de mesas com diversos computadores com operadores que se comunicam com o pessoal de campo, o espaço tem 14 telões que mostram todo o sistema. O local recebe as informações em tempo real de 1902 câmeras, além do GPS de todos os ônibus.

A frota atualmente para o BRT é de 77 ônibus no total, sendo 71 em operação e seis em reserva. Do total, 28 são articulados.

O nível de gratuidades no sistema, ou seja, de passageiros que têm o direito de não pagar, é de 19% do total de usuários.

Logo após a visita ao CCO, a reportagem percorreu um trecho com um dos ônibus superarticulados de 23 metros de comprimento que estava em operação em uma das linhas.

A exemplo do Metrô, os ônibus informam as próximas estações que serão atendidas.

A reportagem viu monitores no ônibus com a informação das próximas estações. Uma ilustração de um ônibus se movimentava na tela, indicando a proximidade da estação.

Monitor em ônibus mostrando a próxima estação

Esta informação não fica fixa na tela, que mescla a imagem com anúncios publicitários eletrônicos.

Os veículos têm sistema de som com a informação das próximas estações atendidas, mas no ônibus em que estava a reportagem, o volume era baixo e não foi possível ouvir.

As estações que são em nível, ou seja, na mesma altura do assoalho dos ônibus, dispensando degraus dos veículos, são bem isoladas e têm informações sobre a previsão de espera de cada linha em tempo real em monitores eletrônicos.

Sobre as “portas de plataforma”, há um mapa com as estações atendidas, a exemplo de metrôs.

Cada estação tem uma central de tecnologia que reúne todos os equipamentos necessários para geração e captação de dados.

O índice de vandalismo é baixo e não havia sinais de quebras ou pichações nos locais visitados.

O terminal Itavuvu e as estações estavam limpas.

No terminal, havia dispenser de álcool em gel como medida de proteção à covid-19.

Uma característica que chamou a atenção nas estações foi o sistema de ventilação que permitia uma temperatura menor que da área externa, mesmo sem a presença de ar-condicionado nos espaços.

A refrigeração se dá de forma natural pela circulação de ar por meio de entradas laterais, parecidas com venezianas.

O sábado pela manhã em Sorocaba estava bastante quente, com temperaturas de quase 30 graus e, dentro das estações, foi possível sentir o ambiente mais fresco, mesmo sem ar-condicionado.

Central de equipamentos de tecnologia e aberturas laterais que permitem circulação de ar e redução de temperatura ambiente

Atualmente, o sistema possui cerca de 35 km de vias para os coletivos, sendo 14 km de espaços exclusivos como entrada e saída à direita dos coletivos, chamados de corredores estruturais, com paradas, e o restante com corredores BRT totalmente segregados com embarque e desembarque à esquerda dos ônibus em estações.

O corredor Itavuvu tem 12 estações, inaugurado em 30 de agosto de 2020.

O corredor Ipanema tem 10 estações e foi inaugurado em 25 de abril de 2021.

Um terceiro corredor, o BRT Oeste, ainda não está em operação.

Como mostrou o Diário do Transporte, acompanhando visita da prefeitura de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, ao sistema em 23 de maio de 2021, o BRT Sorocaba é fruto de um sistema de concessão e PPP (Parceira Publico Privada) responsável pelas obras e operação. É a primeira PPP do País para um BRT neste modelo de contrato único que engloba construção e operação.

O Consócio BRT Sorocaba, o ente privado da PPP, é formado pela Mobibrasil e pela CS Brasil (Grupo JSL – Júlio Simões), que desde 2011 operam o lote 01 de linhas comuns de ônibus por meio do Consor (Consórcio Sorocaba).

O contrato de concessão, prevendo a construção, foi assinado em 09 de fevereiro de 2018, e tem duração de 20 anos.

Relembre a matéria com outros detalhes da operação

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/05/23/especial-conhecendo-o-brt-sorocaba/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luciana disse:

    Pode ser bom mas e muito complicado vc fazer uma viagem do pq vitória régia até o centro ou até o Campolim SEM AR CONDICIONADO está quase todos sem funcionar

  2. Jonathan Lucas Mercado de Sá disse:

    Quem fez essa pesquisa não pega o BRT só pode, o BRT quando eu saio do trabalho vem tão lotado que dá pra fica todo mundo sem se segurar que mesmo o ônibus freando bruscamente fica todo mundo de pé,
    Outra coisa que também vale reforçar é o mal funcionamento do ar condicionado que até os motoristas reclamam pra empresa, pq além de afeta os passageiros afetam eles que ficam lá o dia todo.
    Por fim eu também queria ressaltar é a “internet gratuita” que praticamente vc só pode usar pra dar Check-in no face do BRT outra utilidade como ver horário do ônibus, mandar mensagem no WhatsApp ou até mesma navegar no face que ele utiliza pra fazer publicação que estamos usando BRT em nossa linha do tempo, não é possível, a “internet gratuita” só posta que estamos no BRT depois da sem internet.

Deixe uma resposta