Ribeirão Preto (SP) estuda uso de VLP no transporte coletivo

Representantes da Transerp foram conhecer tecnologia dos veículos utilizados em São José dos Campos

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Ribeirão Preto, no interior paulista, estuda o uso de VLPs (Veículos Leves sobre Pneus) no transporte coletivo.

Representantes da Transerp, empresa que gerencia o trânsito e o transporte urbano da cidade, conheceram nesta quarta-feira, 24 de novembro de 2021, os 12 novos VLPs que serão utilizados no transporte coletivo de São José dos Campos, no interior paulista, a partir de 2022.

Articulados e 100% elétricos, os veículos fabricados pela empresa chinesa BYD, possuem propulsão elétrica, não emitem gases nocivos, são mais econômicos, com menor custo de manutenção e melhor desempenho, conforme ressaltado pela Prefeitura, em nota.

Os VLPs de São José dos Campos têm o primeiro sistema urbano de transporte público do país com tecnologias de biossegurança, sendo um sistema UV-C de desinfecção do ar instalado no ar-condicionado, acabamento com aditivos antimicrobianos nas poltronas, balaústres e pega-mãos”, ressaltou a administração municipal.

Além disso, o modelo de VLP visitado tem 22 metros de comprimento, baterias de fosfato ferro lítio, com autonomia de até 250 km com uma carga completa de três horas. A iluminação externa tem faróis em full LED.

De acordo com o superintendente da Transerp, Marcelo Galli, esta é a segunda etapa do conjunto de visitas técnicas no município localizado na região do Vale do Paraíba Paulista.


Além de conhecer as novas tecnologias para a mobilidade, possibilitou mais uma integração de conhecimentos entre os gestores do trânsito e transporte urbano de São José dos Campos e Ribeirão Preto“, destacou o dirigente.

Durante o encontro, a equipe da Transerp teve a oportunidade de conhecer toda a metodologia adotada em São José dos Campos para o funcionamento de corredores exclusivos de ônibus, que contam atualmente com semáforos inteligentes, semelhante ao sistema que será implantado na cidade.

Com a conclusão das obras dos 56 quilômetros de corredores de ônibus pelo programa Ribeirão Mobilidade, o próximo passo será a implantação de um CCM (Centro de Controle de Mobilidade) no município para o acompanhamento do trânsito e qualidade do serviço do transporte coletivo urbano em Ribeirão Preto.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta