Eletromobilidade

Metrô de Moscou promete entregar linha de metrô subterrânea mais longa do mundo

Até o final de 2021 dez estações da Linha Big Circle serão abertas na capital russa; lançamento completo ocorrerá no final de 2022 – início de 2023, com 70 quilômetros de extensão

ALEXANDRE PELEGI

O Metrô de Moscou promete entregar até o fim de 2021 dez estações da Big Circle Line (BCL).

Esta nova seção será a mais longa a ser posta colocada em operação simultaneamente; sua extensão é de cerca de 20 km.

A informação foi encaminhada ao Diário do Transporte por meio de comunicado da Assessoria de Comunicação do Metrô da capital russa.

A Big Circle Line (BCL) é um dos projetos de construção de metrô mais ambiciosos do mundo.

De acordo com o vice-prefeito de Transportes, Maksim Liksutov, as dez novas estações da BCL melhorarão a acessibilidade do transporte para moradores de 11 bairros da cidade, onde vivem 1,4 milhão de pessoas. “Quase 420 mil pessoas terão estações da linha BCL perto de casa. Os moscovitas terão a oportunidade de usar rotas alternativas, e economizarão cerca de 40% do seu tempo em viagens todos os dias”, disse Liksutov.

Essa entrega faz parte de um projeto maior: o lançamento completo da BCL ocorrerá no final de 2022 – início de 2023, tornando-a a linha de metrô mais longa do mundo. Seu comprimento é de 70 quilômetros, o que representa extensão 3,5 vezes maior que a linha 5 (Circle Line) e um quarto mais longa que a linha de loop de Pequim (Linha 10), até agora a líder em comprimento no mundo.

Serão 31 estações, que permitirão que os passageiros possam fazer transferência para 11 linhas de metrô, e para as linhas MCC e MCD. O MCC (sigla em russo para Círculo Central de Moscou) é uma linha metropolitana de 54 quilômetros de comprimento que circunda a histórica capital. Já o MCD (sigla em russo para Diâmetro Central de Moscou) atende os subúrbios.

Estamos lançando gradualmente a linha BCL, a linha de metrô mais longa do mundo. Após o lançamento completo, será possível mudar para 20 estações de metrô existentes. Isso fará da BCL a líder no número de conexões entre todas as linhas subterrâneas do Metrô da capital russa”, acrescentou Maxim Liksutov.

O lançamento completo da BCL terá um efeito tangível — as linhas de metrô existentes ficarão mais livres em até 30%. Em alguns anos, cerca de 750 mil pessoas usarão a BCL durante a semana, o que a tornará uma das linhas mais populares da capital russa.

A BCL terá apenas os trens mais modernos “Moskva-2020”. Esses trens têm uma porta ampliada, com passagem entre carros mais ampla, bem como conectores USB em cada assento, displays de informação e telas sensíveis ao toque, além de sistema automático de desinfecção de ar.

DEZ NOVAS ESTAÇÕES

As dez novas estações que serão entregues até o final de 2021 foram construídas levando em conta as necessidades de todos os passageiros, diz o Metrô de Moscou. Estas estações estão equipadas com 34 elevadores e 1 elevador de plataforma para cadeirantes.  Sistema de informações por áudio também será instalado nas estações. Os sinais sonoros ajudarão os passageiros idosos e pessoas com deficiência visual a encontrarem a entrada do metrô com facilidade; os dispositivos estarão localizados acima das entradas dos lobbies e nas travessias.

As escadas nos lobbies das 10 novas estações BCL serão equipadas com um sistema de aquecimento que evitará que no inverno haja formação de gelo, o que significa que os passageiros, incluindo crianças, não escorregarão.

Wi-Fi gratuito de alta velocidade da operadora móvel do Metrô de Moscou funcionará na nova seção da BCL. Os passageiros podem usar um serviço para avaliar a ocupação de carros no aplicativo “Metrô de Moscou”. Com este serviço, ficará mais fácil escolher o carro mais livre da estação, o que é especialmente importante durante a pandemia de coronavírus, completa o comunicado do Metrô.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. laurindo junqueira disse:

    A grande vantagem de um projeto como esse está no fato de que ele busca OBTER MAIOR ACESSIBILIDADE ao território como um todo, e não somente aumentar a MOBILIDADE dos cidadãos. Notar que os russos passaram a utilizar as “faixas amarelas de plataforma”, copiando a invenção do metrô do México que o metrô de SP também copiou com tanto sucesso.

Deixe uma resposta