Greve de ônibus em Foz do Iguaçu (PR) é encerrada

Transporte coletivo já opera normalmente nesta sexta. Foto: Guilherme Rogge/Ônibus Brasil.

Categoria pode parar novamente caso o décimo terceiro salário não seja pago

WILLIAN MOREIRA

Terminou nesta sexta-feira, 12 de novembro de 2021, a greve dos trabalhadores que atuam no transporte coletivo de Foz do Iguaçu, no estado do Paraná. O atendimento dos ônibus já foi retomado.

A paralisação foi suspensa após uma reunião no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) permitir a mediação de um acordo entre funcionários e empregadores. Porém, segundo o Sitro-FI (Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Foz do Iguaçu), não houve um entendimento quanto às reivindicações.

Por este motivo, o sindicato pediu o julgamento do dissídio pelo TRT.

O desembargador do Tribunal deu um prazo de 15 dias corridos para que novos documentos sejam apresentados e mais 15 dias para os envolvidos se pronunciarem, cobrando das partes provas documentais para sustentar as alegações.

Já para a Prefeitura de Foz foi dado um prazo de cinco dias para a administração da cidade comprovar que por orientação do TCE (Tribunal de Contas do Estado), não deveria ofertar subsídios para as empresas de ônibus que alegam prejuízos econômicos devido a pandemia.

De um lado, os trabalhadores por meio do sindicato, alegam perdas salariais de 40% e as concessionárias do transporte já citam perdas de R$ 55 milhões.

O movimento grevista começou na terça (09) com os funcionários do setor pedindo o pagamento integral do mês de outubro e a renovação dos acordos laborais.

Como mostrou o Diário do Transporte, neste ano de 2021, a população de Foz do Iguaçu já enfrentou problemas por causa de não pagamento dos trabalhadores.

Houve uma paralisação parcial de três meses que provou redução substancial da frota em operação.

Relembre:

Trabalhadores decidem suspender por 15 dias greve do transporte coletivo em Foz do Iguaçu (PR)

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta