Metrô de Moscou testa tecnologia que substitui janelas dos trens por telas interativas

A novidade está sendo testada em um trem-piloto onde os passageiros poderão ver informações úteis e interessantes em lugar da visão normal do túnel

ALEXANDRE PELEGI

Os passageiros do Metrô de Moscou começam a experimentar uma nova tecnologia em suas viagens: telas OLED interativas em lugar de janelas nos trens.

As telas OLED, em inglês “Organic Light-Emitting Diode”, ou Diodo Emissor de Luz Orgânica, em português, são mais sofisticadas que as LCD devido ao seu funcionamento. Cada ponto no painel emite sua própria luz, ao invés das telas LCD que necessitam da retroiluminação com LEDs.

A novidade está sendo testada em um trem-piloto onde os passageiros poderão ver informações úteis e interessantes em uma tela brilhante e moderna em lugar da visão normal do túnel.

Os painéis permitirão mostrar os horários e mapas dos trajetos, informações sobre o clima, etc.

O Departamento de Transporte de Moscou relata que até agora essas tecnologias inovadoras estão sendo testadas apenas nos metrôs de Pequim e Shenzhen.

Maksim Liksutov, vice-prefeito de Moscou para o Transporte, afirmou que a administração da capital russa está atenta a todos os avanços tecnológicos e a novos serviços em todo o mundo, para melhorar continuamente o conforto dos passageiros do Transporte de Moscou. “O prefeito de Moscou definiu uma tarefa – os serviços mais avançados devem chegar primeiro a Moscou. Lançamos um trem-piloto com visores interativos localizados diretamente nas janelas dos vagões da Linha 7 do Metrô de Moscou. Todos os custos de instalação dessas telas foram suportados pelos nossos parceiros. Depois de um tempo vamos resumir os resultados da pesquisa entre os passageiros, analisar a conveniência e utilidade do serviço com o fabricante e decidir sobre o futuro do projeto”, disse Liksutov.

Para quem não sabe, a primeira linha do Metrô de Moscou foi lançada em 15 de maio de 1935, há 86 anos. Desde aquela época, a rede se estendeu por toda a cidade. Desde o lançamento, o metrô da capital russa não parou de operar, exceto por um dia em 1941. Mesmo em pleno surto de COVID-19, ele continuou operando em plena capacidade.

O metrô de Moscou tem 15 linhas, incluindo o Círculo Central de Moscou. Juntamente com os Diâmetros Centrais da capital e o Monotrilho, existem 333 estações que estão sendo usadas por mais de 9,5 milhões de pessoas diariamente.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta