Bilhete Único de São Paulo agora pode ser recarregado por aplicativos do Itaú Unibanco

Funcionalildade já está disponível. Foto: Adamo Bazani.

Até 07 de outubro, passageiros que comprarem créditos acima de R$ 15 ganham um mês grátis de Bike Itaú

JESSICA MARQUES

O Bilhete Único de São Paulo agora pode ser recarregado pelos aplicativos Itaú e Itaú Light, do Itaú Unibanco.

A recarga atualmente está disponível nas modalidades comum e avulso. Segundo o banco, em breve também a funcionalidade estará disponível também para o cartão “estudante”.

Em nota, o banco informou que a funcionalidade tem como objetivo “facilitar processos na hora de recarregar o cartão e poupar tempo para os usuários”.

Além disso, os paulistanos que usarem a função pela primeira vez, ganham um mês de Bike Itaú, projeto da Tembici, empresa de tecnologia para micromobilidade.

Para utilizar a gratuidade das bicicletas, o valor mínimo da recarga do Bilhete Único nos apps Itaú ou Itaú Light deve ser de R$15 e a promoção é válida até o dia 07 de outubro de 2021, com limite de um código por CPF.

COMO RECARREGAR

Confira abaixo o passo a passo para fazer a recarga do Bilhete Único pelo Itaú:

– Acesse o app Itaú, vá no menu “transações” (barra inferior) e clique em Recarregar. 

– Selecione a opção “transporte”, em seguida, “Bilhete Único”

– Insira o número do cartão Bilhete Único que receberá o crédito

– Informe o valor da recarga (máximo R$ 340). Em seguida, insira a senha do cartão

– Revise as informações (número do cartão, tipo e valor da recarga)

– Confirme a operação

– Pronto! O crédito estará disponível para utilização em até 2 minutos, basta aproximar o cartão de transporte em um terminal autorizado para liberar os créditos comprados.

O cliente poderá ver mais detalhes do comprovante ou compartilhá-lo.

TEMBICI

A Tembici dispõe de 2.700 bicicletas e aproximadamente 260 estações distribuídas pela cidade de São Paulo, muitas estão próximas a estações de metrô e terminais de ônibus.

Segundo a empresa, cerca de 20% das viagens com as bikes compartilhadas começam ou terminam em estações próximas a pontos de transporte público, ou seja, uma a cada cinco viagens do Bike Sampa, que funciona 24 horas, são originadas em estações de integração modal.

“A integração modal é sem dúvida o pilar mais importante no acesso de mais pessoas aos sistemas. A infraestrutura cicloviária é essencial para garantir segurança e conforto aos usuários, muitos deles recém iniciados no ciclismo urbano. Nosso objetivo é facilitar o acesso de todos às bicicletas, defendendo a concentração delas em local de densidade de empregos e principais pontos de interesse da população”, afirmou a gerente de planejamento urbano da Tembici, Renata Rabello, em nota.

Desde o início da pandemia, a Tembici vem informando que reforçou o processo de higienização das bikes e estações. “Além da limpeza diária com álcool 70%, ainda no centro de operações, todas as bikes são lavadas com cloro diluído em água. Mesmo com a limpeza recorrente, a empresa recomenda que os usuários também apliquem álcool em gel nas mãos antes e depois de utilizar as bicicletas, além de fazer uso de máscaras.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luis Nunez disse:

    E o cartão Bom que de bom não tem.nada continua na idade do passe de papel.

Deixe uma resposta