Gire Transportes é a 13ª empresa de ônibus do Rio de Janeiro a recorrer à Recuperação Judicial para tentar escapar da falência

Empresários reclamam de queda de demanda, congelamento de tarifas e pouca ação da prefeitura para combater o transporte clandestino

ADAMO BAZANI

A Gire Transportes, empresa que integra o Consórcio InterNorte, do sistema de transportes coletivos do Rio de Janeiro, é a 13ª companhia de ônibus do setor só na capital a recorrer à recuperação judicial para tentar escapar da falência, contanto empresas individuais ou consórcios.

De acordo com o sistema do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o processo foi distribuído nesta segunda-feira, 20 de setembro de 2021, para a 4ª Vara Empresarial.

A Justiça ainda vai decidir se aceita ou não o pedido.

A exemplo de outras companhias e consórcios de ônibus, a Gire relata queda de demanda agravada pela pandemia de covid-19, o congelamento de tarifas há mais de três anos e pouca ação da prefeitura para combater o transporte clandestino.

O modelo de consórcio pelo qual as empresas acabam se responsabilizando pelas demais também é uma das alegações.

A situação das empresas de ônibus no momento é:

FECHADAS SEM CONSEGUIR TENTAR RECUPERAÇÃO JUDICIAL:

RIO DE JANEIRO (CAPITAL):

Acari;

Estrela;

EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL;

RIO DE JANEIRO (CAPITAL)

Penha-Rio;

Campo Grande;

Real;

Expresso Pégaso;

VG;

Palmares;

Pavunense;

Paranapuan;

Transportes Vila Isabel;

Consórcio Intersul: Autoviação Alpha S.A., Autoviação Tijuca S.A., Empresa de Transportes Braso Lisboa Ltda., Gire Transportes Ltda., Real Auto-ônibus Ltda., Translitorânea Turística Ltda., Transportes Estrela Azul S.A., Transportes São Silvestre S.A., Transporte Vila Isabel S.A., Transurb S.A. e Viação Sáenz Pena S.A.

Consórcio Santa Cruz: Jabour, Recreio, Barra, Campo Grande, Pégaso e Palmares – Fechadas: Andorinha, Top Rio, Algarve, Rio Rotas e Bangu

Nova Cap.

Gire Transportes

NOVA IGUAÇU:

Tinguá

BARRA MANSA:

Cidade do Aço

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Por que não extingue o Estado do RJ e deixa só buraco? Incomoda menos.Este estado já é terminal,ou seja,não tem mais legitimidade nenhumíssima.É o retrato da falência ética e moral generalizada e terminal do Brasil e do mundo,já consumadíssima faz tempo quando veio a Pandemia apocalíptica da COVID-19.

Deixe uma resposta