STM aprova termo de referência para contratar projeto funcional para extensão da Linha 5-Lilás de metrô até o Jardim Ângela

Novidade foi divulgada nesta terça (21). Foto: Divulgação.

Proposta contempla a construção de duas novas estações e um novo terminal de ônibus em direção ao extremo sul da capital paulista, além do prolongamento de uma avenida com ciclovia

JESSICA MARQUES

A STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos) do Estado de São Paulo anunciou nesta terça-feira, 21 de setembro de 2021, a aprovação do termo de referência para contratação do projeto funcional para a expansão da Linha 5-Lilás de metrô até o Jardim Ângela.

Agora, o prazo previsto para análise e conclusão dessa primeira etapa é de 24 meses. De acordo com a STM, nos próximos meses entram em desenvolvimento e aprovação outros temas, como estudo de demanda de passageiros e consultoria ambiental.

Segundo a Pasta, a obra, que contempla duas novas estações e um terminal de ônibus, terá 4,33 quilômetros de extensão e a estimativa é de atender cerca de 130 mil passageiros.

“Analisamos e aprovamos o projeto funcional que, neste primeiro momento, atendeu nossas expectativas e cronograma. Com isso, estamos dando sequência a esse projeto que vai ajudar na mobilidade de tantas pessoas e que é tão esperado pela região”, disse o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, em nota.

O estudo, que foi encomendado à concessionária ViaMobilidade, atual operadora da Linha 5-Lilás, especifica e detalha os requisitos que devem constar no projeto (custos, mão de obra, etc.) e norteia as empresas interessadas em encapar o projeto funcional da obra civil e sistemas.

PROJETO

Conforme detalhado pela STM, a Estação Comendador Sant’Anna será elevada e localizada na avenida de mesmo nome, uma região que concentra comércios, serviços e equipamentos públicos.

Já a Estação Jardim Ângela, que estará próxima ao Hospital Municipal M’Boi Mirim, será subterrânea e conectada ao terminal já existente da SPTrans e ao novo terminal a ser construído. Neste caso, o objetivo é absorver o aumento da demanda de passageiros de ônibus com a implantação da nova estação.

Para viabilizar o projeto, a Avenida Carlos Caldeira Filho será prolongada do Capão Redondo até a Estrada do M´Boi Mirim. O trecho acompanhará o córrego Capão Redondo, que será canalizado, e terá uma pista em cada sentido, com ciclovia.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. rafael almeida disse:

    Vejo que STM está enrolando esse projeto a 2 semanas atrás pelo Instagram o secretário Alexandre Baldy me informou que a empresa que faria os projetos já estava contratado e ágora eles vem com essa conversa que aprovou e que agora vai contratar, isso ele estão empurrando com a barriga e em 2022 isso vai virar campanha para eleição, já fizeram isso em 2 campanhas anteriores e vão fazer isso novamente.

Deixe uma resposta