Marcopolo, Scania e Volkswagen fornecem 304 ônibus para Burkina Faso

ITS, garagem, treinamento e desenvolvimento para 100% de biodiesel fazem parte do projeto; Veículos são de diferentes configurações e integram reformulação dos transportes da capital do país da África Ocidental

ADAMO BAZANI

A Scania e a Volkswagen, que integram o Grupo Mundial TRATON, informaram à imprensa internacional nesta semana o fornecimento de 304 ônibus para Burkina Faso, país da África Ocidental.

Os novos veículos integram o Projeto de Mobilidade Urbana da Grande Ouagadougou, capital do País.

A cidade tem uma população aproximada de 2,5 milhões de pessoas e, com a aquisição, as autoridades locais pretendem reformular o sistema de transportes, aperfeiçoando um sistema tronco-alimentado de linhas, e também esperam reduzir a poluição atmosférica com a renovação dos coletivos em operação, desenvolvimento do uso de biodiesel, e deixando o transporte público mais atrativo.

Todas as unidades, de acordo com nota da Scania Mundial, terão carrocerias da brasileira Marcopolo.

O comunicado também detalha como será a divisão desta frota de 304 ônibus:

– 80 ônibus de 13 metros com piso baixo (Scania);

– 58 ônibus de 15 metros de com piso baixo (Scania);

– 10 ônibus articulados com piso baixo (Scania);

– 30 ônibus convencionais (Scania);

– 126 micro-ônibus (Volkswagen) Os micro-ônibus serão operados em linhas alimentadoras.

Todas as entregas devem ser concluídas ao longo de 2022.

MAIS QUE VEÍCULOS:

A Scania informou, ainda na nota, que o pacote de reformulação dos transportes da capital e região metropolitana vai contar com empresas parceiras, sendo assim, o fornecimento vai além da frota nova.

Para a empresa de transportes públicos de Ouagadougou, SOTRACO, o projeto prevê a implantação de uma garagem sustentável, treinamento para motoristas e demais funcionários, fornecimento de gerenciamento de frota Scania e equipamentos de Sistemas de Transporte Inteligente (ITS) para monitoramento e gestão.

Os parceiros da Scania no projeto também vão atuar “no desenvolvimento e implementação de soluções locais de combustíveis alternativos para eventualmente alcançar uma frota de ônibus 100% biodiesel”, segundo o comunicado.

“Burkina Faso continuou a se desenvolver e mostrar potencial para ser um grande ator na região. Para apoiar este crescimento, tem havido um investimento renovado em áreas-chave; esta é uma evidência da maior atividade de investimento que vejo em toda a região da África Ocidental com uma atenção crescente das empresas suecas. ” disse na nota a  Diretora Regional para a África Ocidental da Business Sweden, Anthonia Adenaya Huard, que trabalha com esta colaboração desde 2016.

O programa de restruturação dos transportes conta ainda com a participação da Team Sweden, que é uma parceria entre o Ministério Sueco dos Negócios Estrangeiros, a Embaixada da Suécia no Burkina Faso, a Business Sweden, a Swedfund, a Swedish Export Credit Agency (EKN), o Swedish Export Credit Corporation (SEK) e BNP Paribas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Zé Ninguém disse:

    Esperemos que estes durem um pouco mais que a frota atual da SOTRACO, composta em sua maioria por ônibus usados da RATP de Paris. Este povo sofrido merece transporte decente, ainda mais levando em conta que no verão a temperatura em Ouaga chega fácil aos 50°

Deixe uma resposta