Eletromobilidade

Doria prevê R$ 47,5 bilhões em investimentos até 2022. Mobilidade urbana e logística terão maior fatia

Setor, por meio de PPP, mobilidade deve responder por R$ 6 bilhões no ano que vem e, logística, por R$ 6,5 bilhões: Linha 6-Laranja, CPTM, BRT-ABC, Metrô do ABC, Linha 19, Extensão as Linha 2 e VLT e monotrilhos estão na conta

ADAMO BAZANI

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 15 de setembro de 2021, que o Estado deve ter em torno de R$ 47,5 bilhões em investimentos até 2022.

Deste total, são R$ 25 bilhões em 2022 e mais R$ 22,5 bilhões que estão sendo ou serão aplicados em 2021.

Todos os investimentos, a maior parte da iniciativa privada, foram reunidos num pacote que a gestão chamou de programa Pró-SP.

Somente em 2022, dos R$ 25 bilhões previstos, R$ 6,5 bilhões serão para obras de logística e R$ 6 bilhões em mobilidade, além de recursos para projetos específicos das Secretarias Estaduais: R$ 1,7 bilhão em Agricultura e Desenvolvimento Regional; R$ 1,2 bilhão em Segurança Pública e Administração Penitenciária; R$ 1,2 bilhão em Saúde; R$ 1 bilhão para Educação; R$ 700 milhões em Turismo e Desenvolvimento Econômico; e R$ 6 bilhões para as demais áreas.

O projeto de maior valor como um todo (não só contando o ano de 2022) é a conclusão da linha 6-Laranja do Metrô (São Joaquim/Brasilândia), que deve somar R$ 15 bilhões, com previsão de entrega total em outubro de 2025

Obras da CPTM, BRT-ABC (ônibus elétricos em corredores) e monotrilhos estão na conta no programa, conforme apresentação:

BRT ABC (OBRAS NÃO INICIADAS)

O BRT ABC vai ligar as cidades de São Bernardo do Campo até à capital paulista, passando por Santo André e São Caetano do Sul. Serão 18 quilômetros de extensão, com veículos elétricos movidos a bateria, com 23 metros de comprimento cada. O pagamento do modal será feito de forma antecipada, no início da plataforma de embarque, para agilizar a partida dos coletivos nas paradas. Serão três tipos de serviço: expresso, semi expresso e o parador. O expresso será o atendimento mais rápido, ligando as duas pontas em 40 minutos. Anunciado em maio/2021 como alternativa à Linha 18-Bronze.

LINHA 15 – PRATA (MONOTRILHO)

A Linha 15-Prata funciona atualmente em 12,8 quilômetros e 10 estações entre Vila Prudente e São Mateus. A estação Jardim Colonial será aberta ainda em 2021. O Metrô concluiu as obras civis e está na fase de acabamento e paisagismo, além dos testes de sistemas. O empreendimento também prevê a ampliação com as estações Boa Esperança e Jacú Pêssego, com obras em contratação e meta de conclusão em 2024, além da estação Ipiranga, em fase de contratação do Projeto Executivo, também com meta de conclusão das obras em 2024. O Metrô concluiu as obras civis e está na fase de acabamento e paisagismo, além dos testes de sistemas para iniciar o funcionamento da estação Jardim Colonial ainda em 2021.

LINHA 4 – AMARELA (FASE 2)

A implantação da fase 2 da Linha 4 está chegando ao final. O Metrô já concluiu as obras do Complexo Vila Sônia (estação, Terminal de ônibus e prolongamento da via em túnel em 1,5 km desde a estação São Paulo-Morumbi). Agora, os sistemas sob responsabilidade do Metrô estão sendo testados e comissionados, enquanto a concessionária que opera a linha faz a instalação dos sistemas de sinalização e controle de trens, para possibilitar a abertura do complexo até o fim do ano. Previsão de inaugurar Vila Sônia é dez/2021.

EXTENSÃO DA LINHA 2 – VERDE

Na atual gestão, foram retomados os contratos para a ampliação da Linha 2-Verde até Penha, em um primeiro estágio, com 8,3 km de extensão e oito novas estações. Os projetos executivos foram elaborados e as obras iniciadas, com destaque para Anália Franco, Vila Formosa, Penha e Orfanato, que estão com a execução das paredes diafragmas e escavações para aprofundamento do poço do corpo das estações. O contrato do trecho Penha-Dutra está suspenso até 2023. O trecho Penha-Dutra da Linha 2-Verde faz parte de outra etapa de ampliação, que será iniciada com o avanço das desapropriações que vão permitir os projetos executivos e obras. Esse trecho vai fazer conexão com a futura Linha 19, na estação Dutra.

AMPLIAÇÃO DE VILA PRUDENTE – LINHA 2

As obras estão em andamento para ampliar e modernizar ainda mais a estação Vila Prudente, trazendo mais conforto ao passageiro, que terá mais fluidez no deslocamento pela estação e pela integração com a Linha 15-Prata. A meta é concluir essa ampliação em 2023.

NOVO TÚNEL DE CONEXÃO COMPLEMENTAR ENTRE AS ESTAÇÕES CONSOLAÇÃO (LINHA 2) E PAULISTA (LINHA 4)

O Metrô está concluindo a licitação para contratar as obras civis do novo túnel que vai ampliar a conexão entre as estações Consolação (Linha 2-Verde) e Paulista (Linha 4-Amarela). Após a assinatura do contrato será possível definir o cronograma de atividades e conclusão

LINHA 6 – LARANJA

Trata-se de uma Parceria Público Privada e a concessionária responsável pelas obras é a Linha Universidade – que tem o grupo ACCIONA como um de seus sócios. As obras foram retomadas em outubro de 2020 e recentemente iniciou-se a montagem das tuneladoras, também chamadas de tatuzões, que fazem o trabalho de escavação. Essa etapa deve ser concluída no primeiro trimestre de 2024. O investimento previsto é de R$ 15 bilhões e terá 15 estações ao longo de 15,3 km de extensão. O trajeto entre as estações Brasilândia e São Joaquim será feito em 23 minutos e haverá total integração à rede metroferroviária e terminais de ônibus.

LINHA 17 – OURO (MONOTRILHO)

As oito estações do trecho prioritário – de Jardim Aeroporto a Morumbi com enlace no Aeroporto de Congonhas, além do Pátio Água Espraiada – estão com a obra bruta praticamente concluída e o Metrô trabalha no acabamento e conclusão da via permanente. Já o contrato para fabricação dos trens e portas de plataforma, junto ao fornecimento de sistemas, está em execução. Os trechos 2 e 3 fazem parte do plano de expansão do Metrô e sua implantação encontra-se em planejamento. A prioridade é a conclusão do trecho que vai ligar o Aeroporto de Congonhas à rede de transporte sobre trilhos.

LINHA 19 – CELESTE – TRECHO ANHANGABAÚ – BOSQUE MAIA (GUARULHOS)

O Metrô está no processo de licitação para contratar o Projeto Básico. A expectativa é que o vencedor seja homologado e o contrato assinado ainda neste semestre. A implantação desse trecho da Linha 19 faz parte do plano de expansão do Metrô e a fixação de prazos de entrega depende do avanço de projetos preliminares.

LINHA 20 – ROSA (SANTA MARINA-SANTO ANDRÉ)

Está em andamento o contrato para prestação de serviços de investigações geotécnicas e sondagens, mapeamento e cadastramento de redes de utilidades para subsidiar o Projeto Funcional / Anteprojeto de Engenharia, que também vem sendo elaborado. Paralelamente, o Metrô está contratando um estudo das questões econômico-financeiras, jurídico-legais e mercadológicas para definir a modelagem da implantação desta linha. As etapas seguintes, incluindo o cronograma dos próximos projetos, dependem da conclusão do Projeto Funcional e do estudo das questões econômico-financeiras e mercadológicas, que fornecem os subsídios para a elaboração do projeto seguinte (Projeto Básico) e do modelo de implantação da linha.

EXTENSÃO LINHA 9-ESMERALDA

A extensão da Linha 9-Esmeralda acrescentará 4,2 quilômetros de vias e elevará o número de estações da linha para 20. O investimento total é de R$ 975 milhões. São duas novas estações: Bruno Covas/Mendes-Vila Natal, inaugurada em agosto deste ano, e Varginha, prevista para 2022.

AMPLIAÇÃO DA ESTAÇÃO SANTO AMARO (OBRA SUSPENSA PELA QUEDA DA ESTRUTURA)

O projeto previsto no contrato de concessão visa a melhoria do deslocamento dos passageiros que utilizam a integração entre as linhas 5 e 9, uma das mais solicitadas do sistema metroferroviário. A obra contará com 8 escadas rolantes novas além de 4 novos elevadores. A concessionária ViaMobilidade está construindo duas novas passarelas em ambos os lados da ponte Estaiada. As novas estruturas possuem 7 metros de largura cada uma, adicionando mais 14 metros para o deslocamento dos passageiros. O comprimento da passarela no lado norte é de aproximadamente 160 metros, enquanto no lado sul pode chegar a 200 metros. Na parte leste da passarela sul está prevista a construção de um pequeno restaurante.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 17 de agosto de 2021, uma estrutura para as obras de ampliação das plataformas de embarque e desembarque da estação Santo Amaro, linha 5-Lilás, da Via Mobilidade, do metrô de São Paulo caiu no Rio Pinheiros.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/08/17/estrutura-de-obra-de-metro-cai-sobre-rio-pinheiros-na-estacao-santo-amaro-da-linha-5-lilas/

VLT DA BAIXADA SANTTISTA (FASE 2)

Em setembro/2020 foram iniciadas as obras do 2º trecho do VLT, em Santos, entre a avenida Conselheiro Nébias e o terminal Valongo. O prazo de execução é de 30 meses e contará com 8 km de extensão, 14 estações, transportando 35 mil pessoas. Investimento será de R$ 217,7 milhões. O 1º trecho opera desde 2016 e conta com um trajeto de 11,5 km entre São Vicente (barreiros) e Santos (estação porto). O 3ª trecho, entre Barreiros – Samaritá, está previsto para ligar a Área Insular à Continental de São Vicente, no litoral de São Paulo. Estão em análise técnica as propostas para contratação do projeto executivo. O início das obras do trecho está previsto para 2022, com prazo de conclusão de 30 meses após a assinatura do contrato. Quando estiver totalmente concluído, o VLT terá 27 km de extensão e transportará 95 mil passageiros por dia.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta