Capital Paulista entra no Consórcio ABC e entidade cita transportes como exemplo de políticas que podem ser integradas

Prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, formalizou nesta sexta-feira (10) participação em entidade que reúne os prefeitos do ABC Paulista; Presidente da entidade e prefeito de Santo André, Paulo Serra, destacou o BRT-ABC para o diálogo; Transporte hidroviário entre ABC e São Paulo é possibilidade

ADAMO BAZANI

A capital paulista agora faz parte do Consórcio Intermunicipal de prefeitos da região do ABC.

A metrópole será um membro consultivo e vai atuar em discussões de temas como transportes, incluindo o BRT-ABC e a possibilidade de uma ligação hidroviária entre capital e as setes cidades da região.

Nesta sexta-feira, 10 de setembro de 2021, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, esteve na sede do Consórcio, na cidade de São Paulo, e assinou a formalização da entrada da capital na entidade regional.

O ABC tem sete cidades: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Cinco fazem limite com a capital, com exceção de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

De acordo com o prefeito de Santo André e presidente do Consórcio, Paulo Serra, questões como drenagem e transportes públicos estarão na pauta de debates entre a capital paulista e o ABC.

“Nosso objetivo é ampliar a integração das sete cidades com a Capital, consolidando o Consórcio ABC como órgão de governança regional. Com a participação de São Paulo, podemos sintonizar políticas públicas para melhorar o dia a dia nossa gente em temas comuns como transporte e drenagem”

Paulo Serra citou empreendimentos que devem unir o ABC à capital, como o BRT-ABC, um sistema de corredores de ônibus elétricos articulados de maior capacidade que os comuns, que vai unir São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano e São Paulo até as estações de Metrô e terminais de ônibus Tamanduateí e Sacomã.

A previsão é que o sistema esteja operação até 2023.

“Duas questões que para nós do ABC são fundamentais e têm relação direta com a capital é o BRT que vai ligar nossa região ao Tamanduateí, à linha de Metrô, e o piscinão Jaboticabal, que está sendo construído na capital, na divisa com São Caetano do Sul, e que tem uma influência na drenagem da região, na macrodrenagem naquela bacia do Tamanduateí, entre a Avenida dos Estados e a Avenida do Estado, que são prioridades na região do ABC” – disse Paulo Serra, que ainda citou que cerca de 500 mil pessoas se deslocam de transporte público por dia entre o ABC e a capital, nos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), trólebus e ônibus do Corredor ABD (Metra/Next Mobilidade) e os ônibus gerenciados pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos).

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, ainda citou que o ABC pode ser integrado aos planos da capital para uma rede de transportes hidroviários.

“Vamos fazer transporte hidroviário dentro do município de São Paulo, mas agora com esta possibilidade junto com o consórcio, podemos elaborar o transporte hidroviário também ligando os municípios do ABC à cidade de São Paulo.” – disse Nunes citando a ligação do ABC pela região de Santo Amaro.

Participaram da reunião o presidente do colegiado e prefeito de Santo André, Paulo Serra, os prefeitos de Diadema, José de Filippi Júnior, de Ribeirão Pires, Clovis Volpi, e de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira, e os vice-prefeitos de São Bernardo do Campo, Marcelo Lima, e de Mauá, Celma Dias.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Carlos Eduardo de Souza disse:

    Muito bom ver isso acontecer. Deixar de lado posições politico-partidaria para resolver problemas comuns. Parabéns aos chefes do executivo local e de São Paulo.

Deixe uma resposta para Carlos Eduardo de Souza Cancelar resposta