EAOSA é notificada pela EMTU por usar extintor de incêndio no lugar de triângulo para sinalizar ônibus quebrado

Problema ocorreu em Santo André; Agravante é que veículo teve vazamento de óleo diesel e equipamento de combate à incêndio estava sendo usado para desviar trânsito; Transportes no ABC estão sendo reformulados, mas parte dos empresários de ônibus da região contesta

ADAMO BAZANI

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) informou nesta segunda-feira, 06 de setembro de 2021, que notificou a EASOA (Empresa Auto Ônibus Santo André) pelo uso inadequado de equipamento de segurança em um ônibus quebrado.

O Diário do Transporte flagrou por volta de 17h30 deste domingo (05) dois ônibus da empresa parados na Avenida Quinze de Novembro, próximo à esquina com a Rua Campos Salles, no centro de Santo André.

Um dos coletivos estava quebrado.

Além de a quebra atrapalhar o trânsito, bloqueando a faixa da direita, dificultando a parada dos ônibus num ponto próximo e a conversão da XV de Novembro para a Campos Salles, a sinalização de trânsito para o EAOSA quebrado era feita com o extintor de incêndio e não com o triângulo obrigatório por legislação.

Embaixo da parte da frente do ônibus em pane, de prefixo 825, havia uma grande quantidade de líquido esparramado sobre a via. Até então, a reportagem não soube identificar que tipo de vazamento era.

Mas, para piorar a situação, a EMTU confirmou nesta segunda-feira (06) que o líquido se tratava de óleo diesel, produto altamente inflamável, e, justamente, o equipamento de combate a eventual incêndio, estava na parte de trás do ônibus sendo usado para desviar o trânsito.

Se alguém erroneamente jogasse um cigarro ainda aceso na via ou mesmo houvesse qualquer tipo de faísca de veículos próximos, poderia ocorrer uma situação pior.

De acordo com o aplicativo Sinesp Cidadão, do Governo Federal, o ônibus tem 12 anos, sendo fabricado em 2009.

Na nota, a EMTU informou ainda ao Diário do Transporte que a inspeção desse ônibus vence em 30 de setembro de 2021.

Neste domingo, 05/09, por volta das 17h30, o ônibus de prefixo 825, que operava na linha 403 – Mauá (V. Nova Mauá) São Caetano do Sul (Santo Antônio), teve um vazamento de óleo diesel e interrompeu a circulação quando estava na Avenida Quinze de Novembro, em Santo André. Os passageiros foram transferidos para outro veículo. A empresa EAOSA, responsável pela operação da linha, foi notificada pela EMTU sobre o uso equivocado de equipamento de segurança e a necessidade de orientar corretamente os funcionários a utilizarem o triângulo. A inspeção do veículo vence em 30/09/2021.

REFORMULAÇÃO:

Os transportes intermunicipais metropolitanos do ABC Paulista estão passando por reformulações.

A área 5 da EMTU, que por pressão de empresários de ônibus do ABC nunca teve uma licitação concluída apesar de seis tentativas, foi extinta.

No lugar, as linhas remanescentes da área 5 estão sendo transferidas gradativamente para a ABC Sistema (Next Mobilidade), uma SPE (Sociedade de Propósito Específico) criada no âmbito da renovação antecipada por mais 25 anos do contrato da Metra pela Corredor Metropolitano ABD (conhecido corredor de trólebus, embora nem todo o sistema tenha rede de trólebus).

A renovação prevê a construção do BRT-ABC (sistema de ônibus elétricos à bateria articulados) escolhido no lugar do monotrilho da linha 18-Bronze que em sete anos nunca saiu do papel; a reforma e modernização do Corredor ABD e a assunção de todas as 97 linhas gerenciadas pela EMTU.

Em troca de operar todas as linhas, a ABC Sistema (Next Mobilidade) teve assumir o compromisso de investir em renovação de frota.

A empresa já trouxe 116 ônibus zero quilômetro com ar-condicionado e wi-fi.

Até o momento, a Next Mobilidade está operando as linhas que eram correspondentes à antiga MobiBrasil Diadema, que desistiu de atuar no ABC, e das empresas Publix e Viação ABC, da família Setti & Braga, que controla a nova SPE.

A renovação do contrato com a Metra em troca da reformulação dos transportes no ABC chegou a ser barrada na Justiça, mas depois liberada.

A ação popular foi movida por um advogado que já atuou em favor de empresários de ônibus do ABC.

A antiga Área 5 da EMTU era a que tinha o pior resultado no IQT (Índice de Qualidade do Transporte) em relação à frota, satisfação do passageiro, cumprimento de horários e itinerários, além de viabilidade econômica das empresas.

A Next Mobilidade tem até março de 2022 para assumir todas as 97 linhas e pode subcontratar empresas para operar parte das ligações.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Antonio palacio disse:

    Ainda nao se acostumaram que o grupo Baltazar , faz e desfaz nz regiao e nada lhe acontece.

  2. Peca em tudo, mas tudo mesmo. Dá impressão que a população morre de medo de denunciar. Onibus ancião, não é original da linha, chapa de um outro estado, e de cidade, já que trafega entre SP-SA e Mauá, nada tendo a ver com SBC( precisava checar esse DPVAT, a licença), garanto até que esse extintor devia estar vencido… o condutor mal assessorado do manuseio de equipamentos de segurança, e o óleo???? a empresa vai limpar o local????? Povo de Mauá, acordem….Foi o tempo que a EAOSA era boa, em 70

  3. Nilres Neres da Silva disse:

    Todos os ônibus dessa empresa estão em péssimo estado,só vai acontecer uma interferência do governo,quando acontecer uma tragédia.

Deixe uma resposta para Antonio palacio Cancelar resposta