História

Peças de veículos a diesel podem ser compradas de forma virtual com busca pela placa; Empresa vai restaurar dois “Fofão” de Osasco (SP)

Fofão ainda em operação em serviço regular na cidade de Osasco

De acordo com GriGo, ao digitar a placa do ônibus ou caminhão, plataforma virtual mostra a relação completa dos produtos; Já sobre ônibus históricos, empresa firmou parcerias para a restauração

ADAMO BAZANI

A empresa GriGo anunciou na manhã desta quinta-feira, 02 de setembro de 2021, uma ferramenta de compra e entrega de peças de veículos a diesel por meio de um “balcão virtual” pelo qual, apenas digitando as placas da van, implemento rodoviário, caminhão ou ônibus, é possível encontrar em um único lugar a relação das peças e equipamentos de cada modelo.

O site é: https://pecagrigo.com.br/

Além do site, há o aplicativo “GriGo”, que pode ser baixado na Play Store e App Store.

Também é possível comparar preços de cada peça entre diferentes marcas e localizar os produtos disponíveis também buscando pelo chassi, por código ou por marca/ano/modelo.

A empresa, localizada em Osasco, na Grande São Paulo, promete entrega de até quatro horas para a Grande São Paulo após a confirmação da compra. Para cidades num raio de 200 km, a entrega se dá no dia seguinte e, para as demais cidades, o prazo varia de acordo com a distância.

As entregas ocorrem para compras acima de R$ 150.

A GriGo diz ter mais de 18 mil itens de 300 fornecedores.

O Diário do Transporte aleatoriamente escolheu a foto de um ônibus em seus arquivos de imagens, de modelo mais antigo.

Foi um Caio Apache Vip I, Mercedes-Benz ano 2007, que era usado no sistema metropolitano do ABC.

Ao digitar a placa deste ônibus (CSK0596) foi possível achar a relação completa das peças deste modelo.

“Oferecemos em um único lugar peças de para-choque a para-choque, ou seja, tudo o que há no veículo a diesel. Por enquanto, só não trabalhamos com pneus” – disse um dos criadores da empresa Luís Maurício Marques.

Para 2022, a empresa quer ter unidades em Belo Horizonte, Curitiba e outras cidades do Estado de São Paulo. Em 2023, os planos são de ter cobertura em todo o Brasil. Já para 2024, a empesa quer ter atuação na Argentina e Colômbia e, em 2025, ter ações em Bolsa de Valores

FOFÃO:

Como forma de agradecimento à cidade de Osasco, onde se instalou, a GriGo se ofereceu para restaurar dois Fofões, ônibus de dois andares urbanos, que ficaram muito conhecidos na capital paulista no fim dos anos 1980, idealizados pelo então prefeito Jânio Quadros.

Apesar da fama na cidade de São Paulo, os ônibus com carroceria Thamco e chassis Scania, também circularam por outras cidades, inclusive em Osasco.

Relembre uma matéria histórica do Diário do Transporte neste link: https://diariodotransporte.com.br/2016/06/12/historia-o-fofao-alem-de-janio-quadros/

De acordo com a GriGo, a ideia de restaurar as duas unidades surgiu em conversas com a prefeitura de Osasco.

Os veículos estão em estado deteriorado e os trabalhos não serão simples, mas a GriGo diz que, entre os parceiros de negócios, possui especialistas em mecânica e elétrica para Scania, e também em restauro de carrocerias, que vão participar do projeto.

A empresa não deu uma previsão de quando o restauro estará pronto.

Os ônibus devem ser usados em atividades culturais e turísticas da cidade.

Os “Fofões” começaram a rodar em Osasco na gestão do prefeito Francisco Rossi (1989-1993). As primeiras quatro unidades foram compradas pela CMTO- Companhia Municipal de Transportes de Osasco, em novembro de 1990.

A CMTO usava os Thamco ODA da mesma forma que a CMTC – Companhia Municipal de Transportes Coletivos – na cidade de São Paulo. Os veículos transportavam passageiros em linhas centrais que serviam os terminais e pontos de transferência. A altura destes ônibus, porém, era incompatível com o circuito que faziam e os ônibus por onde passavam arrancavam galhos de árvores e fios de eletricidade, provocando a mesma polêmica da capital. Não demorou muito para serem aposentados.

Os ônibus já tinham sido restaurados, usados em atividades recreativas, mas foram encostados novamente.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta