Eletromobilidade

SPTrans diz que projeto construtivo de ônibus elétrico da Mercedes-Benz atende às especificações exigidas para a capital paulista

Chassi, que será montado no Brasil, vai fazer os ensaios de performance e desempenho nas condições reais de operação, diz a gerenciadora em resposta ao Diário do Transporte

ADAMO BAZANI

O projeto construtivo do primeiro ônibus elétrico da Mercedes-Benz que será montado no Brasil atende às especificações determinadas pela SPTrans (São Paulo Transporte), que gerencia o sistema.

A informação é da própria gerenciadora municipal da capital paulista em resposta ao Diário do Transporte.

A SPTrans informou ainda que agora aguarda da Mercedes-Benz propostas de datas para o início dos testes de campo no sistema da cidade de São Paulo.

A SPTrans informa que foi feita a análise do projeto construtivo apresentado pelo fabricante e o modelo está em conformidade com as especificações exigidas. 

Ainda é necessário fazer os ensaios de performance e desempenho nas condições reais de operação. A SPTrans aguarda a manifestação do fabricante quanto à data para disponibilização do veículo para os testes.

Vale esclarecer que a SPTrans não homologa e/ou certifica modelos de ônibus. Cabe à empresa verificar a conformidade do veículo com o estabelecido nas normas vigentes e nos manuais de padrões técnicos de veículos, elaborados pela gestora.

Como mostrou o Diário do Transporte, na apresentação do modelo eO500U, que ocorreu em 25 de agosto de 2021, a Mercedes apontou para o ônibus a cidade de São Paulo como o principal mercado, porém não o único.

Para a capital paulista, já há um mercado previsto para ser iniciado com cerca de 150 unidades.

Além de a cidade de São Paulo já ter a predominância da Mercedes-Benz nos ônibus tipo padron, há uma lei que estipula reduções de poluição gradativas pelos ônibus municipais até que em 2037 sejam zeradas as emissões de CO2.

No início de agosto, durante a apresentação de obras da linha 6-Laranja do Metrô pelo Governo do Estado de São Paulo, o prefeito da capital paulista Ricardo Nunes, que esteve no evento, disse que a expectativa é que até o fim de sua gestão, em 2024, estejam circulando entre 2,4 mil e 2,6 mil ônibus elétricos na cidade.

O eO500U, de piso baixo, pode receber carrocerias de até 13,2 metros. As baterias terão recarga total entre duas horas e meia e três horas. Segundo a Mercedes-Benz, a autonomia será de 250 quilômetros. Com seis packs de bateria, será possível chegar a 300 quilômetros. Há versão de quatro packs.

As baterias representam em torno de 50% do valor total do ônibus e a previsão é de uma troca a cada 15 anos.

O sistema de carregamento será Plug-In, ou seja, recarga com conectores em pontos fixos. O preço deste veículo pode ser entre três e quatro vezes maior que um similar a diesel.

Relembre os detalhes do ônibus em:

https://diariodotransporte.com.br/2021/08/25/mercedes-benz-lanca-o-primeiro-chassi-eletrico-com-producao-no-brasil-eo500u/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. inline6fan disse:

    Ótima notícia! De uns tempos para cá, parece que a eletromobilidade para a cidade de SP realmente deu passos importantes!
    Assim como eu, tenho certeza que todos os cidadãos de São Paulo agradecerão pela chegada dos ônibus elétricos!

    Resta-me uma dúvida, gostaria de saber se os leitores ou os editores do Diário podem me esclarecer:
    Como será a viabilização da substituição dos ônibus convencionais a diesel pelos modelos elétricos, visto que estes custam até 4 vezes mais?

  2. Rodrigo Zika disse:

    Isso era previsto, quem sabe ate o fim do ano que vem tenha ao menos um rodando em teste, e que não fique eternamente e depois não comprem, veremos.

Deixe uma resposta para Rodrigo Zika Cancelar resposta