Ao menos 30 ônibus do Rio de Janeiro são vandalizados em fim de semana de sol e praia

Sindicato das empresas teme repetição de atos no próximo fim de semana; Prejuízo foi de cerca de R$ 100 mil

ADAMO BAZANI

Ao menos 30 ônibus foram vandalizados neste fim de semana no Rio de Janeiro.

Os prejuízos chegam a R$ 100 mil.

Os dados são do Rio Ônibus, sindicato que reúne as empresas da capital, em balanço nesta segunda-feira, 23 de agosto de 2021.

Sábado (21) e domingo (22) foram marcados por sol e calor, mesmo no inverno, e diversos grupos que foram às praias, invadiram os coletivos, entrando sem pagar a tarifa e, além disso, depredaram os ônibus.

De acordo com o porta-voz do Rio Ônibus, Paulo Valente, além do prejuízo financeiro, há prejuízos à operação nesta segunda-feira, uma vez que estes ônibus estão sem condições de circular. Alguns só devem voltar à operação depois de terça-feira.

Várias imagens que circularam em redes socais mostram grupos de homens, mulheres e adolescentes quebrando portas, janelas, alavancas de saída de emergência, danificando alçapões e bancos, e amassando lataria dos ônibus.

Nas imagens, é possível ver parte destes bandos andando em cima dos coletivos.

Em nota, a entidade das viações teme que no próximo fim de semana ocorra o mesmo.

As imagens são o retrato do caos e refletem o desrespeito ao sistema regular de transportes. Em situações assim, vans e carros por aplicativos desaparecem ou elevam suas tarifas. As cenas não retratam uma realidade isoladas, e, no próximo final de semana, caso não haja reação por parte das autoridades de Segurança Pública, correm novamente o risco de acontecer.

CALOTES NO BRT

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do BRT Rio, informou que neste domingo (22), a volta da praia também foi marcada pela ação dos caloteiros nas estações Nova Barra, Guiomar Novaes e Gilka Machado, localizadas no bairro do Recreio dos Bandeirantes. Uma grade foi derrubada por passageiros que tentaram invadir o Terminal Recreio sem pagar a passagem.

Segundo a Prefeitura, “houve reforço no patrulhamento das estações com equipes do programa BRT Seguro. Agentes da Guarda Municipal e Polícia Militar atuaram com rondas móveis nas vias exclusivas e efetivo fixo no terminal Alvorada”.

Os calotes representam 20 a 25% do carregamento diário do BRT, responsável pelo transporte de cerca de 180 mil passageiros por dia, conforme informado pela administração municipal.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. GÁSPAR AMPARO PJ disse:

    QUE VERGONHA,
    ISSO É BRASIL!
    AQUI QUEREM COPIAR O TRANSPORTE DE CIDADES DESENVOLVIDAS E DE PRIMEIRO MUNDO,MAS NÃO COPIAM AS LEIS.

  2. Waldemar Maria de Araujo Filho disse:

    Essas confusões em época de praia, vejo acontecer desde o final dos ans 60, quando eu morava em Campo Grande e ia p/ Barra de Guaratiba no 867.
    Nos anos 70 a Redentor usava uma cabine com roleta que era encostada na porta de entrada do onibus na Barra da Tijuca, para evitar o calote no 748.
    Nos anos 70/80/90 morei em Olaria e Ramos e a confusão era a mesma no 484 e 485.

  3. E olha que nós aqui na Capital Paulista reclama, reclama, reclama..Imagine vc entrar no bus sem camisa????? Do Rio não se espere nada de bom, me desculpe…

Deixe uma resposta