Governo do Estado quer modelagem para a linha 20-Rosa do Metrô do ABC com custos próximos a zero para os cofres públicos

Secretário Alexandre Baldy, e presidente da CPTM, Pedro Moro, em visita ao ABC (11/08/2021). Foto: Diário do Transporte

Informação é do secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy; Concorrência para contração de empresa que vai definir este modelo foi lançada há poucos dias, como mostrou o Diário do Transporte

ALEXANDRE PELEGI/ADAMO BAZANI

O governo do Estado de São Paulo quer que a linha 20-Rosa do Metrô, entre Santo André e a região da Lapa, na zona Oeste da capital paulista, tenha custos próximos a zero para os cofres públicos.

A declaração foi dada pelo secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em evento de assinatura de obras da CPTM no ABC, na manhã desta quarta-feira, 11 de agosto de 2021.

“Nosso objetivo é que a gente consiga fazer uma modelagem para que o Estado possa fazer o mínimo de investimentos, ou não fazer investimentos com orçamento público ou tomada de capacidade fiscal” – disse Baldy citando exemplos de projetos de metrô em Barcelona e na Ásia.

A linha 20-Rosa é o primeiro projeto de metrô de alta capacidade para o ABC Paulista.

Havia um projeto de monotrilho, para a linha 18-Bronze, que é um meio de transporte de apenas média capacidade que foi substituído por um BRT (Bus Rapid Transit), que são corredores de ônibus rápidos, que também são de média capacidade, mas têm custos menores de implantação e operação, segundo o Governo do Estado.

O BRT deve se conectar ao Metrô da linha 20-Rosa.

A modelagem esperada pode se dar tanto no projeto construtivo como na atração de investidores privados: “A intenção é que a gente consiga atrair, conforme o modelo que foi feito na Ásia, e conforme modelagem construtiva vem sendo entregue em Barcelona, com inovações importantes que vão ser apresentadas no tempo certo – seja no modelo construtivo da própria linha, ou seja no modelo de contratação para investidores interessados”.  

Ouça:

PROJETOS DA LINHA 20-ROSA

Como mostrou o Diário do Transporte, a Companhia do Metrô de SP lançou Licitação para a prestação de serviços de Financial Advisory (Assessoria Financeira) para a implantação da Linha 20 – Rosa, em publicação no Diário Oficial do Estado do dia 17 de julho de 2021. Relembre:

Metrô de SP abre licitação para contratar serviços de assessoria financeira para implantação da Linha 20-Rosa

 

A Sessão pública de recebimento de propostas está marcada para 02 de setembro, às 10h.

Os serviços de Financial Advisory visam desenvolver um modelo para atração de capital privado para a implantação da Linha.

De acordo com o Edital, o valor do orçamento estimado para esta licitação é sigiloso até a assinatura do contrato. E os recursos para bancar o custo será proveniente do Governo do Estado de São Paulo.

No Edital, o Metrô descreve os serviços a serem realizados pelo Financial Advisory:

Os serviços do Financial Advisory têm como objetivo a análise e definição das principais premissas econômico-financeiras e jurídicas para a concretização do projeto da Linha 20 – Rosa em parceria com a iniciativa privada, com condições atrativas para os investidores.

Ainda, caso não se confirme o estudo preliminar realizado pelo Metrô que aponta pela possibilidade de utilização integral de recurso financeiros privados para o desenvolvimento da Linha 20, seja apresentado estudo que viabilize o menor impacto financeiro para o Poder Concedente, seja na forma de subsídio, contraprestação ou aporte de recursos.

As atividades envolvem a elaboração da avaliação econômico-financeiro preliminar do projeto, análise jurídico/legal, estudos de fontes de recursos e estrutura de capital necessários à implantação e operação da Linha 20 – Rosa, análise e proposição de mecanismos de mitigação de riscos, avaliação mercadológica/imobiliária para o melhor desenvolvimento de receitas não tarifárias e acessórias, e market sounding (prospecção de mercado).

PASSOS DO PROJETO

Este é mais um passo importante para a implantação dessa ligação metroviária com o ABC, que segundo diretrizes traçadas pela Companhia terá cerca de 31 km de extensão e 24 estações, com várias integrações previstas na rede, em estações a serem definidas em estudo já contratado.

Trata-se do projeto funcional e do anteprojeto de arquitetura, que está sendo desenvolvido pelo consórcio GPO-Geocompany-Geotec (formado pelas empresas GPO Sistran Engenharia, Geocompany Tecnologia Engenharia e Meio Ambiente e Geotec Consultoria Ambiental), como lembrou o secretário Alexandre Baldy nesta manhã. O contrato foi assinado em 30 de dezembro de 2020, com prazo de 32 meses para conclusão.

Recentemente, no dia 19 de abril de 2021, o Metrô assinou o segundo contrato relativa à Linha 20-Rosa. Desta vez com o Consórcio EPT-Reconverte, formado pelas empresas EPT – Engenharia e Pesquisas Tecnológicas e Reconverte Planejamento e Projetos, que executará serviços técnicos especializados de engenharia para a execução de investigações geotécnicas/sondagens, mapeamento e cadastramento de redes de utilidades públicas.

Este estudo técnico subsidiará o desenvolvimento do anteprojeto de engenharia/projeto funcional já em desenvolvimento pelo Consórcio GPO- Geocompany-Geotec. O contrato tem prazo de 12 meses e valor de R$ 1,92 milhão.

Alexandre Pelegi e Adamo Bazani, jornalistas especializados em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta