Decreto de Ricardo Nunes retira quase R$ 650 mil de corredores de ônibus da capital

Radares também são utilizados para identificar uso ilegal de faixas exclusivas de ônibus

Dinheiro vai para várias secretarias, como Educação, Urbanismo e Licenciamento dentre outras

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, autorizou um remanejamento de R$ 33 milhões entre diferentes áreas para cumprir compromissos da prefeitura e evitar endividamentos.

Esse valor será destinado a despesas inerentes às atividades da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, da Secretaria Municipal de Educação, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento, da Secretaria Municipal de Gestão, da Secretaria Municipal das Subprefeituras, da Subprefeitura Pinheiros e do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura.

Para cobrir essa abertura de crédito adicional, a maior parte desses recursos será retirado de despesas orçamentárias decorrentes da prestação de serviços por pessoas jurídicas (item Outros Serviços – Pessoa Jurídica), cerca de R$ 28 milhões; e R$ 3,1 milhões para obras e instalações, no item “Obras e Serviços nas Áreas de Riscos Geológicos”.

Os projetos de corredores de ônibus também sofreram com a sangria: no item “obras e Instalações”, os corredores perderam quase R$ 650 mil (R$ 644.572,09).

O decreto 60.403, assinado pelo prefeito Ricardo Nunes, foi publicado no Diário Oficial do Município desta terça-feira, 28 de julho de 2021.

Vale lembrar que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro do ano 2021 foi sancionada pelo então prefeito Bruno Covas destinando R$ 83 milhões para 50 km de corredores ou faixas exclusivas de ônibus. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/09/17/covas-promulga-ldo-para-o-exercicio-de-2021-e-destina-r-83-milhoes-para-50-km-de-corredores-ou-faixas-exclusivas-de-onibus/

De prático até agora neste ano está a recente assinatura do contrato entre a SPObras e a empresa que será responsável pela elaboração do projeto de corredor BRT (Bus Rapid Transit) no Aricanduva, com 13,6 km de vias exclusivas para ônibus.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. antonio carlos palacio disse:

    nao entendi, dias atrás ele assinou contrato de projeto do corredor aricanduva ? Mais um dinheiro jogado fora, faz projetos, projetos, projetos , depois vem outro prefeito e tem outras prioridades e o dinheiro vai para o ralo.

Deixe uma resposta