MT transfere administração do Terminal Rodoviário de Cuiabá à iniciativa privada

Imagem do terminal rodoviário Engenheiro Cássio Veiga de Sá, antes da pandemia de covid-19.

Transferência foi feita para a empresa Sinart – Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda.

JESSICA MARQUES

O Governo do Estado do Mato Grosso, por meio da Sinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística), assinou o termo de transferência do terminal rodoviário Engenheiro Cássio Veiga de Sá, em Cuiabá, para a empresa Sinart – Sociedade Nacional de Apoio Rodoviário e Turístico Ltda.

Desta forma, a empresa passa a ser a responsável pela administração do terminal a partir desta semana e durante o período de 25 anos de vigência da concessão, segundo o Governo do Estado.

Em nota, o Governo do Estado informou que a assinatura de transferência do terminal garante a empresa o direito de explorar os serviços, assim como a obrigação de investir na infraestrutura do local. Os investimentos a serem aplicados diretamente em melhorias estruturais, a partir do primeiro ano de concessão, somam R$ 18,9 milhões. Já o contrato de concessão é no valor de R$ 240 milhões.

OBRAS

A concessão prevê que a empresa Sinart seja a responsável pela elaboração e execução de projetos necessários para as obras de conservação, manutenção, operação e a gestão dos serviços públicos delegados a serem prestados pela empresa concessionária, bem como investimentos e melhorias no terminal.

Dentre as obras a serem realizadas estão adequações nos banheiros, modificações na área de embarque e desembarque, central de operações, que deverá funcionar com monitoramento do fluxo dos usuários, além de melhorias no estacionamento e sinalização visual dos serviços prestados à população dentro do terminal, por exemplo.

Também estão previstas a instalação de um elevador panorâmico, serviços de vigilância, espaços para comércios diversos, como caixa eletrônico, restaurante, banca de jornais, lotérica, bem como internet Wi-Fi, entre outras intervenções.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, a transferência da rodoviária à iniciativa privada vai assegurar a melhoria e modernização do terminal, além de mais qualidade no atendimento ofertado aos usuários que, ao pegar  os ônibus intermunicipais, contarão com maior segurança e conforto.

“Lançaram uma licitação em anos anteriores em que previam mexer na estética do prédio, que é um prédio diferenciado, uma arquitetura muito bonita e muito bem-feita. Mas antes de estética, o passageiro quer, principalmente aqueles que chegam de longas viagens, um ambiente limpo, higiênico e sem sujeira para usar, para tomar um banho. O passageiro quer comer uma refeição boa, quer ter segurança, quer uma rodoviária iluminada, acessível. É isso que um terminal rodoviário tem que ter e que essa concessão vai garantir ao usuário”, afirmou o secretário, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta