Grupo Viação Garcia-Brasil Sul volta a usar a marca H24 para entrega de encomendas

H24 foi criada em 1990 com o compromisso de entregar as encomendas em 24 horas. Foto: Divulgação.

Serviço oferece a opção de coleta da mercadoria ou do recebimento nas filiais

JESSICA MARQUES

O Grupo Viação Garcia-Brasil Sul informou nesta terça-feira, 06 de julho de 2021, que voltou a usar a marca H24 para realizar a entrega de encomendas. A novidade passa a atender as principais rotas comerciais das regiões Sul e Sudeste, com as entregas realizadas no endereço do destinatário no prazo máximo de 24 horas.

Segundo o grupo, o serviço dispõe da opção de coleta da mercadoria ou do recebimento nas filiais. Ao todo, são 85 pontos comerciais da empresa para os serviços de coleta e entrega que atendem a 147 cidades.

Entre os principais segmentos estão autopeças, medicamentos, automação, confecções, alimentos não perecíveis, material gráfico e cosméticos. Para os cuidados específicos com o transporte de medicamentos, o Grupo informou ter registro da Anvisa e cumprir todos os protocolos de boas práticas para o transporte seguro.

A marca H24 havia sido criada em 1990 com o compromisso de entregar as encomendas em 24 horas. Agora, o grupo decidiu reviver o serviço após o e-commerce ter apresentado um crescimento de mais de 70% no país, em 2020. A novidade também surge em um período de crise para o transporte de passageiros, devido à pandemia de covid-19.

“A nossa meta é ampliar a visibilidade dos serviços de encomendas e incentivar a utilização do transporte de mercadorias fracionadas em bagageiros de ônibus, ressaltando os ganhos com agilidade, segurança e confiabilidade”, afirmou Estefano Boiko Junior, vice-presidente do grupo, em nota.

Com sede em Londrina, no Paraná, o Grupo Garcia Brasil Sul (GBS) é formado pela Viação Garcia, Brasil Sul, Princesa do Ivaí e LondriSul, com atendimento nos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, transportando em média 21 milhões de pessoas por ano.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta