Diário no Sul

Prefeito de Porto Alegre diz que vai agir para suprir linhas dos ônibus do Consórcio Viva Sul que estão descobertas

Foto: Pedro Henrique / Ônibus Brasil

Empresa Trevo não operou algumas linhas na quinta e sexta, o que levou Sebastião Melo a mobilizar parte da frota da Carris e exigir ação complementar do Consórcio

ALEXANDRE PELEGI

A paralisação de ônibus da empresa Trevo, integrante do Consórcio Viva Sul, que opera linhas da Zona Sul de Porto Alegre, levou o prefeito da capital gaúcha a reunir sua equipe na tarde deste sábado, 03 de julho de 2021, para discutir o assunto.

Em seu twitter pessoal, Sebastião Melo afirmou: “Reuni a equipe no Ceic na tarde deste sábado para debater medidas diante da paralisação de veículos do Consórcio Viva Sul. A prefeitura irá notificar administrativamente os demais consórcios para que dividam o cumprimento das tabelas que ficaram descobertas nas linhas”.

Ele informou ainda que a Carris “poderá atuar em conjunto com as concessionárias para equacionar a demanda, mas não tem condições de assumir a totalidade da deficiência”.

E finalizou com uma ameaça: “O cidadão precisa ter o transporte coletivo funcionando. E os contratos devem ser cumpridos, sob risco de serem rescindidos”.

Nessa quinta (01) e sexta-feira (02) parte da frota de ônibus da Trevo não saiu às ruas, o que levou o prefeito a pedir uma apuração rigorosa à Secretaria de Mobilidade.

Se a situação não for regularizada, autorizarei lotações, transporte escolar e linhas metropolitanas para atenderem a demanda dos cidadãos”, ele ameaçou em seu twitter ontem.

Pelo menos seis linhas de ônibus da zona sul de Porto Alegre serão assumidas pela Carris a partir desta segunda-feira (5). As linhas foram confirmadas pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC): Intendente Azevedo, Nazareth, Nazareth-Intendente, Nazareth-Intendente-Patrimônio, Cruzeiro do Sul e Pereira Passos.

A Trevo diz que não tem recursos para abastecer os ônibus.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta