Eletromobilidade

Prefeito de Moscou decide comprar só ônibus elétricos para o transporte público

Em 2023, capital russa terá mais 372 estações de carregamento para o transporte coletivo eletrificado

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, decidiu que não comprará mais ônibus a diesel para o transporte público da capital russa.

A informação foi dada pelo vice-prefeito para o setor de transporte, Makim Liksutov.

Liksutov afirmou: “A partir deste ano, por decisão do prefeito de Moscou, não compraremos ônibus a diesel, exceto para transporte em modo especial. Apenas ônibus elétricos. Também instalaremos cerca de 200 pontos de carregamento elétrico por ano para o desenvolvimento do transporte elétrico pessoal”, afirmou.

A estimativa é que até o final deste ano de 2021 Moscou alcance a marca de 1.000 ônibus elétricos em operação.

O uso de ônibus elétricos nas vias da capital russa reduziu as emissões de poluentes no ar da cidade em 40 mil toneladas em 2020.

E isso vai aumentar: o aumento do número de ônibus com emissão zero em 2021-2022 reduzirá 86 mil toneladas anuais de poluentes.

Apesar do inverno rigoroso de Moscou, os ônibus elétricos estão operando com sucesso. O transporte inovador funcionou pela terceira temporada sem interrupções.

No inverno na capital russa as temperaturas normalmente caem para aproximadamente −10°C, sendo que essa estação vai do início de novembro ao final de março.

De olho nesse mercado, a ​​Kamaz, fabricante russa de caminhões pesados, abriu um centro de produção de ônibus elétricos em Moscou. Na primeira fase, até 500 ônibus elétricos serão montados na nova fábrica, com a expectativa de aumento para até 700 veículos numa segunda fase.

Em 2023, a prefeitura promete ainda implantar mais 372 estações de recarga. Em apenas dois anos e meio serão mais de 500, o que permitirá a rápida transição das linhas de ônibus da capital para a tração elétrica.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta