Prefeito de Santo André (SP) estuda ampliar horário de operação dos ônibus a partir de segunda (05)

Medida foi anunciada por Paulo Serra nesta quinta. Foto: Divulgação.

Se houver queda ou estabilidade no número de casos de covid-19 na cidade, transporte coletivo pode voltar a operar até meia-noite

JESSICA MARQUES

O prefeito de Santo André, no ABC Paulista, Paulo Serra, informou que está estudando ampliar o horário de operação dos ônibus municipais a partir de segunda-feira, 05 de julho de 2021.

Segundo o chefe do executivo, se houver uma queda ou estabilidade no número de casos de covid-19 na cidade, o transporte coletivo pode voltar a operar até meia-noite.

“Com a queda dos números, a gente deve ampliar novamente os horários do transporte público a partir de segunda-feira. O transporte está sendo interrompido às 22h e voltando 4h. A gente deve ampliar esse horário para até meia-noite a partir de segunda-feira. Estamos avaliando isso, estudando com os concessionários da cidade. Com os números indicando uma estabilidade ou queda, podemos fazer essa medida novamente para que não tenha nenhum prejuízo”, afirmou o prefeito.

Na primeira quinzena de junho, a Prefeitura prorrogou o toque de recolher na cidade e os ônibus estão circulando das 22h às 4h. Após 30 de junho, a medida foi novamente prorrogada até 15 de julho.

Relembre:

Santo André prorroga toque de recolher e ônibus continuam sem circular das 22h às 4h até 30 de junho de 2021

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Junior disse:

    Graça a Deus os onibus vai voltar ao normal obrgdo Paulo Serra

  2. CLAUDIA ROBERTA MENDES disse:

    O prefeito de São Bernardo do Campo tem que fazer a mesma coisa porque tá difícil pra quem trabalha a noite voltar pra casa e ter que ficar pegando uber que está cobrando caro de mais pra levar as pessoas.

  3. Antonio Fernandes disse:

    Tem que aumentar a quantidade de ônibus pois estão muito lotados sem condições de entrar neles , depois querem que diminuem os casos.

Deixe uma resposta