VLT de Guarulhos: Prefeitura se candidata para receber apoio de bancos de desenvolvimento

Em resposta ao Diário do Transporte, gestão Guti confirma envio de documentação ao BNDES e aguarda retorno em chamamento feito em parceria com banco de desenvolvimento alemão KFW

ADAMO BAZANI

O projeto de um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) para a cidade de Guarulhos, na Grande São Paulo, pode receber apoio de bancos de desenvolvimento e começar a dar os primeiros passos para sair do papel.

Nesta quinta-feira, 17 de junho de 2021, em resposta aos questionamentos do Diário do Transporte, a prefeitura de Guarulhos confirmou que candidatou o projeto na “Chamada de Projetos de Mobilidade Urbana Sustentável para realização de estudos de pré-viabilidade”.

A chamada foi publicada pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social), em parceria com o banco de desenvolvimento alemão KFW, no início de 2021.

A gestão do prefeito Gustavo Henric Gosta (Guti) confirmou ainda ao Diário do Transporte, por meio de nota, que em 31 de maio de 2021, submeteu a documentação ao BNDES “com o intuito de se candidatar para eventual apoio destes bancos para evolução do projeto de VLT, com base no desenho atualizado – proposto no contexto do Estudo de Oportunidade -, elaborado em parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD em 2018.”

O meio de transportes sobre trilhos é pensado para operar no trecho compreendido entre a Dona Tecla (próximo ao Shopping Maia) e estação de trem Aeroporto/Terminal Metropolitano do Taboão, passando pelo Centro de Guarulhos).

Ainda de acordo com a prefeitura, o “estudo de oportunidade concluído sugere uma estação final na região do Parque Transguarulhense, com parada intermediária em frente ao Parque Shopping Maia, e não final”.

Ainda na resposta ao Diário do Transporte, a prefeitura de Guarulhos diz que a candidatura é para aprofundar os estudos a fim de encaminhar o projeto para a viabilidade.

Neste momento, dispomos apenas de um simples Estudo de Oportunidade que oferece uma visão ampla sobre um novo traçado que faria sentido diante do contexto atualizado de demanda do município. Este é o motivo de buscarmos o apoio dos bancos de desenvolvimento por meio da Chamada de Projetos para o aprofundamento dos estudos a um nível de pré-viabilidade. Torcemos para que nosso projeto seja contemplado com o apoio para que possamos apresentar uma visão mais completa do projeto.

A proposta é que o VLT tenha conexão também com linhas de ônibus municipais e metropolitanas, gerenciadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos)

A administração ainda explicou ao Diário do Transporte que “os estudos estão sendo realizados através de uma parceria da Prefeitura de Guarulhos com a Agência Francesa de Desenvolvimento-AFD/CODATU, com o apoio a fundo perdido da Agência de Urbanismo de Lyon para o desenvolvimento de estudos de viabilidade com vistas à implementação de um sistema de transporte coletivo em via exclusiva em Guarulhos”

Veja a resposta na íntegra da prefeitura de Guarulhos ao Diário do Transporte:

O BNDES, em parceria com o banco de desenvolvimento alemão KFW, publicou no início deste ano a “Chamada de Projetos de Mobilidade Urbana Sustentável para realização de estudos de pré-viabilidade”. O objeto da chamada foi identificar e selecionar possíveis projetos de mobilidade sustentável para receber apoio a fundo perdido dos bancos de desenvolvimento para chegar em um nível de detalhamento de pré-viabilidade, o que pode permitir o avanço mais decisivo para as fases subsequentes.

Guarulhos submeteu a documentação ao BNDES no último dia 31 de maio com o intuito de se candidatar para eventual apoio destes bancos para evolução do projeto de VLT, com base no desenho atualizado – proposto no contexto do Estudo de Oportunidade -, elaborado em parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD em 2018.

Os detalhes sobre o traçado (caminho que o VLT deve percorrer) e demais conclusões do estudo foram considerados no Plano de Mobilidade de Guarulhos, que pode ser consultado em sua íntegra no link https://www.guarulhos.sp.gov.br/plano-de-mobilidade-urbana-de-guarulhos.

Conforme consta no item 9.1.6 do plano, são outras obras viárias estratégicas para o transporte coletivo: “Veículo Leve sobre Trilho – VLT9 – Proposta de implantar um novo sistema de transporte coletivo para conectar o trecho compreendido entre a Dona Tecla (próximo ao Shopping Maia) à estação de trem Aeroporto/Terminal Metropolitano do Taboão, passando pelo Centro de Guarulhos). Os estudos estão sendo realizados através de uma parceria da Prefeitura de Guarulhos com a Agência Francesa de Desenvolvimento-AFD/CODATU, com o apoio a fundo perdido da Agência de Urbanismo de Lyon para o desenvolvimento de estudos de viabilidade com vistas à implementação de um sistema de transporte coletivo em via exclusiva em Guarulhos. Para tanto, algumas alternativas de traçado de VLT integradas a uma rede viária de transporte estão sendo avaliadas.”

Como um adendo, cabe salientar que o estudo de oportunidade concluído sugere uma estação final na região do Parque Transguarulhense, com parada intermediária em frente ao Parque Shopping Maia, e não final.

Neste momento, dispomos apenas de um simples Estudo de Oportunidade que oferece uma visão ampla sobre um novo traçado que faria sentido diante do contexto atualizado de demanda do município. Este é o motivo de buscarmos o apoio dos bancos de desenvolvimento por meio da Chamada de Projetos para o aprofundamento dos estudos a um nível de pré-viabilidade. Torcemos para que nosso projeto seja contemplado com o apoio para que possamos apresentar uma visão mais completa do projeto.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Vinicius Gonçalves disse:

    Guarulhos, uma cidade que jamais saberá o que é uma linha reta. Como gostam de curvas….

  2. João disse:

    Precisou de dois mandatos para “pensar”.. imagina para construir?!

  3. Ivan disse:

    Projeto,
    Parece até brincadeira, kk
    Leva nada a lugar algum…

Deixe uma resposta