BlaBlaCar acelera metas e prevê fechar 2021 com 150 parcerias com empresas de ônibus e R$10 milhões em passagens vendidas por mês

Foto: Daniel Budal de Araújo / Ônibus Brasil

“Nosso objetivo é continuar agregando os maiores operadores do mercado rodoviário brasileiro e investir bastante em digitalização”, diz o novo VP da América Latina, Frédéric Ollier. Foi sua primeira entrevista à imprensa especializada no novo cargo

ALEXANDRE PELEGI

A pandemia de Covid-19, ao mesmo tempo que trouxe crise para o setor de transporte de maneira geral em todo o mundo, para quem lida com a modalidade via plataformas digitais foi uma oportunidade de crescimento.

É assim que entende o momento atual o novo Vice Presidente (VP) da América Latina da startup BlaBlaCar, Frédéric Ollier, que conversou em entrevista exclusiva com o Diário do Transporte na manhã desta terça-feira, 16 de junho de 2021.

É um momento importante, que vai acelerar todas as transformações”, diz Frédéric sobre a pandemia.

De origem francesa, ela já morou no Brasil e integra a BlaBlaCar há mais de 5 anos, onde vinha atuando como Head de estratégia antes de sua atual posição.

Em 2015 ele acompanhou o lançamento da plataforma de caronas no Brasil, o que lhe deu um amplo conhecimento do mercado brasileiro.

Lançado em 14 de dezembro de 2020, o Marketplace de passagens de ônibus da BlaBlaCar ampliou não apenas o ambiente de negócios da plataforma, como expandiu para seus clientes as possibilidades de opções de modos de viagens ao incorporar o transporte rodoviário.

O Marketplace, que começou com cerca de 40 empresas de ônibus, alcançou em maio deste ano 73 contratos de parcerias assinados, já com mais de 8 mil rotas. No momento, 300 empresas de ônibus estão em negociação com a plataforma.

Atualmente as vendas ainda estão concentradas no sul do país (80%), mas a BlaBlaCar pretende espalhar essa operação por todas as regiões, o que já começa a acontecer.

As atuais campeãs de venda são as empresas Ouro e Prata, Santo Anjo e Unesul, além da Eucatur.

Nosso objetivo é continuar agregando os maiores operadores do mercado rodoviário. Nossa meta é mais agressiva, chegar a 150 empresas de ônibus distribuídas na nossa plataforma até o fim do ano”, diz Frédéric, o que significa uma aceleração da meta divulgada no fim do ano passado pela empresa que estimava um número inferior, 125.

Em junho já temos 73 empresas assinadas”, ele informa, quase metade da meta já na metade do ano.

Frédéric é graduado em Engenharia pela Ecole Polytechnique & Mines de Paris

Quanto à venda de passagens de ônibus pelo Marketplace, a meta é chegar em dezembro de 2021 com 10 milhões por mês.

A BlaBlaCar se posiciona como uma plataforma multimodal para distribuir passagens alavancando o fluxo de passageiros gigantesco que a gente já tinha com caronas, e que vem crescendo muito bem nos últimos anos, essa postura não muda”, reforça Frédéric.

Na verdade, a intenção da empresa é se posicionar como aliada na reinvenção digital das empresas de ônibus no Brasil.

Conhecida no país por oferecer serviços de carona de longas distâncias, a BlaBlaCar aposta no conceito multimodal da plataforma.

Alguns dados justificam isso: cerca de 69% das rotas de caronas são entre pares de cidades que não têm linhas de ônibus intermunicipais ou estaduais. “A plataforma atua como solução para trechos mal atendidos por transporte público”, completa Frédéric. Ou seja, o cliente que antes entrava no aplicativo da startup para buscar uma carona, hoje tem à sua disposição passagens de ônibus, o que expande seu leque de ofertas, e permite a ele compor viagens ou, até mesmo, substituir modos caso aquele trecho pretendido não esteja disponível no dia e hora desejados.

Frédéric cita a resiliência do setor de carpool (caronas). Mesmo na pandemia (ou talvez até por causa da pandemia) em 2020 o ano fechou com 2,5 milhões de novos usuários em caronas. Este número é parecido com o de 2019, na pré-crise; ou seja, a BlaBlaCar entende que manter o número de clientes é uma conquista.

É este cliente que agora tem mais opções para fazer suas viagens, é essa oportunidade de crescimento que a plataforma de caronas está trazendo para o setor rodoviário.

Além da multimodalidade, o que nossa plataforma oferece é a complementaridade entre os meios de transporte”, diz o VP da Latam.

Isso permite desde o que Frédéric chama de “last mile”, o que seria aquele trecho final de uma viagem que pode ser feito complementado outro modal. Como exemplo, o uso de carona para chegar a um destino onde não há ainda serviço de ônibus.

PLANEJANDO PARA A RETOMADA

A BlaBlaCar está se preparando para o que Frédérioc chama de retomada do setor de viagens, o que ele projeta para o fim de 2021.

Estamos trabalhando para atuar nas vendas de uma maneira muito forte no fim do ano, quando a retomada chegar”, ele antecipa.

Sabendo que o cliente é sensível ao fator preço, ele diz que promoções com as empresas serão ainda negociadas, mas não pode antecipar.

O que ajudará bastante na agressividade de mercado da startup no Brasil é o aporte de US$ 115 milhões (cerca de R$ 585 milhões) feito pela VNV Global que será utilizado para a expansão da empresa.

Além de possíveis aquisições, Frédéric informa que parte desse capital será investido na estratégia de digitalização da startup no Brasil, investindo pesado na parceria com o mercado rodoviário, por exemplo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Daniel Duarte disse:

    A idéia dessa plataforma BlaBlaCar é revolucionária.

  2. Desculpe, mas com nossa empresa não haverá parcerias com este aplicativo!!

    TOTALMENTE irregular, como pode se dar CARONA e cobrar por isto???

    Pagam como os impostos??????

    Que garantias da prestação de serviços existe???

    Em caso de acidentes, como fica???

Deixe uma resposta para Daniel Duarte Cancelar resposta