Com comércio funcionando até 23h neste sábado (12), ônibus vão operar até 01h de domingo em Santo André

Nos demais dias, continua suspensa a circulação dos coletivos entre 22h e 04h

ADAMO BAZANI

Por causa do “Dia dos Namorados”, o comércio de atividades não essenciais vai funcionar até 23h em Santo André, no ABC Paulista, neste sábado, 12 de junho de 2021. Haverá uma tolerância até meia noite.

A medida é prevista em decreto assinado pelo prefeito Paulo Serra.

Em decorrência desta alteração, os ônibus municipais em Santo André vão operar até mais tarde, após às 22h, conforme prevê portaria da SA-Trans, gerenciadora dos transportes da cidade.

Os ônibus vão operar até 01h de domingo (13)

Já a partir de domingo, 13 de maio de 2021, os ônibus voltam a parar de circular entre 22h e 04h, como já vinha sendo feito como medida para conter a proliferação da covid-19.

A medida vale para as linhas operadas pela Suzantur (sistema de Vila Luzita) e Consórcio União Santo André (Viação Guaianazes – antiga Viação Humaitá, Viação Curuçá, Viação Vaz – antiga Viação Padroeira do Brasil, TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações, ETURSA – Empresa de Transporte Urbano e Rodoviário de Santo André – linhas remanescentes da privatização da EPT – Empresa Pública de Transportes e dissolução da ENSA – Expresso Nova Santo André , EUSA – Empresa Urbana Santo André – antiga Viação São Camilo).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luiz Carlos Gomes de Oliveira disse:

    Que tipo de atitude é esta que por conta de uma data que privilegia o comércio, simplesmente se modifica o horário do toque de recolher, que cá para nós não funciona, basta ver o que acontece nas periferias da cidade, o que irá acontecer com as unidades de saúde, seja pública ou privada, dentro de uma ou duas semanas, estarão novamente a beira do colapso por conta de um data específica, completamente sem noção é um enorme desrespeito com a vida, completa submissão do poder público frente ao poder privado neste momento representado pelo comércio varejista.

Deixe uma resposta