Com dívidas que somam R$ 1,2 bilhão, SuperVia entra com pedido de recuperação judicial

Segundo mensagem do presidente da empresa, pandemia complicou situação da concessionária de trens do Rio de Janeiro, que está com a metade da demanda diária

ADAMO BAZANI

A SuperVia comunicou que nesta segunda-feira, 07 de junho de 2021, entrou com pedido de recuperação judicial.

Segundo o TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), o processo ficará a cargo da 2ª Vara Empresarial do Rio.

A empresa que possui a  GUMI – Guarana Urban Mobility Incorporated como principal acionista desde meados de 2019, subsidiária controlada pela trading japonesa Mitsui, em mensagem assinada pelo presidente Antonio Carlos Sanches ressaltou os impactos econômicos da pandemia.

“A pandemia trouxe um cenário novo para nossas vidas e a economia global, mas ele se tornou ainda mais desafiador para empresas de prestação de serviço de transporte ao passageiro, como é o caso da SuperVia. Nós tivemos que redobrar os cuidados com a nossa própria saúde e, ao mesmo tempo, manter o sistema ferroviário em funcionamento. No nosso caso, a pandemia provocou uma crise financeira sem precedentes uma vez que, atualmente, transportamos a metade do número de passageiros de antes da crise.”  – diz parte do comunicado.

A SuperVia ainda é formada pela West Japan Railway Company e pelo fundo japonês Join voltado para infraestrurtura.

Ainda de acordo com a mensagem, o objetivo do pedido é iniciar um novo ciclo de negociação junto aos credores e ao Poder Concedente a fim de superar a atual crise financeira”

A empresa possui dívidas de R$ 1,2 bilhão.

Os principais credores são o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que corresponde a cerca de 70% e a Light, que tem 13% do total devido pela SuperVia.

Outra parte da dívida se refere a títulos de empréstimos relacionados a infraestrutura.

A demanda diária de passageiros era de 600 mil pessoas. Agora, com dificuldade chega a 300 mil

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Não só da pandemia.Falência ética e moral generalizada,histórica e apocalíptica do universo.Crimes,mentiras,corrupção,atentados ao Meio-Ambiente,hipocrisia,demofobia,ganância…deu a mehrdhyi@ que deu.

  2. A nossa CPTM não está lá estas coisas,,,,,quero ver o que vão dizer, quando for exposto o balanço,,,

Deixe uma resposta