Transporte coletivo em Batatais (SP) é suspenso até o final de maio

Foto: Michel Aparecido de Souza/Ônibus Brasil

Medida integra ações do lockdown municipal válido por 17 dias

WILLIAN MOREIRA / ALEXANDRE PELEGI

Vivendo uma situação dramática diante da pandemia do novo coronavírus, Batatais, no interior de São Paulo, decidiu seguir a mesma receita de Araraquara e declarar lockdown total até o fim de maio.

Na tarde de sábado, 15 de maio de 2021, 21 moradores da cidade de 63 mil habitantes aguardavam um leito hospitalar. Apenas no início do mês, 15 pessoas haviam falecido em decorrência da Covid-19.

Um comunicado oficial da prefeitura foi lançado chamando a atenção de todos os moradores para a gravidade da situação: “A Secretaria Municipal de Saúde alerta a situação crítica de saúde frente à pandemia no município, reiterando a importância de todos se cuidarem e manterem as medidas sanitárias de segurança. Não saiam de casa a não ser que seja necessário!”.

O lockdown de 16 dias foi decretado pelo prefeito Juninho Gaspar (PP) na noite de quinta-feira, 13 de maio, e entrou em vigor à 0h do dia 15, concluindo somente à 0h do dia 31 de maio.

O decreto n° 3988 arrochou as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus, decorrente do aumento expressivo de casos conforme o documento, trazendo ações mais restritivas com a implantação do lockdown.

Nas restrições está a proibição do funcionamento do transporte coletivo até 31 de maio.

Podem funcionar Supermercados, padarias, açougues, comércio de hortifrutis, restaurantes e petshops mas somente com a função delivery, sendo vedado o atendimento presencial.

Já o drive thru e aglomerações em espaços públicos estão proibidos.

Na sexta-feira (14), véspera do início do lockdown, Batatais teve uma corrida a supermercados e casas lotéricas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Joel disse:

    Perfeitinho comunista

Deixe uma resposta