História

Estação do Metrô faz homenagem a prefeito Bruno Covas, morto aos 41 anos

Covas finalizou a licitação dos ônibus da capital e, quando era deputado, oficializou a VVR e instituiu “Dia da Preservação da Memória dos Transportes em Ônibus”

ADAMO BAZANI

Quem passou pela Estação Sé do Metrô de São Paulo neste domingo, 16 de maio de 2021, a mais movimentada do sistema, pode acompanhar uma homenagem ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas, que morreu também neste domingo aos 41 anos de idade após lutar desde 2019 contra o câncer.

Luminosos trouxeram a imagem do prefeito e a mensagem “Obrigado Bruno”.

Entra as recordações de Covas, foi exibida uma de suas frases “É possível fazer Política sem Ódio”

Covas se tornou até o momento o prefeito mais jovem de São Paulo com a renúncia de João Doria (PSDB), de quem era vice. Doria disputou e ganhou a eleição para governador

Em 2020, Covas foi eleito no segundo turno para um novo mandato.

Em relação aos transportes, há fatos que ficaram na história do prefeito.

Foi na gestão Bruno Covas como prefeito, em 06 de setembro de 2019, que a licitação dos transportes por ônibus de São Paulo, a maior do setor no mundo na época, foi finalizada com 15 anos de contratos avaliados em aproximadamente R$ 70 bilhões. A licitação estava travada desde 2013 e diferentes gestões tentaram concluí-la, sem sucesso.

Alguns atos da gestão causaram controvérsias na área de transportes, como a supressão de linhas da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) sob a alegação de que havia superposição com linhas municipais da SPTrans (São Paulo Transporte). Muitos passageiros foram prejudicados com a medida e diversas linhas voltaram.

Outra ação que gerou polêmica na área de transportes foi o corte da gratuidade para idosos entre 60 e 64 anos de idade nos ônibus municipais, ao mesmo tempo em que o governador João Doria promoveu o fim do benefício para este público na CPTM, Metrô e nos ônibus metropolitanos (EMTU). A decisão ocorreu às vésperas do Natal em dezembro de 2020, numa emenda jabuti (escondida num projeto de lei sobre outro assunto) e foi aplicada em fevereiro de 2021.

Ainda como deputado estadual, Bruno Covas apresentou e teve aprovado um projeto relacionado à memória dos transportes:

Pelo projeto de lei 1295, de 2009, de Bruno Covas foi criado o  “Dia da Preservação da Memória dos Transportes em Ônibus”, celebrado todo o dia 30 de novembro.

O PL 1295 virou a lei número 14145, que também incluiu  no Calendário Oficial de São Paulo a “VVR – Viver, Ver e Rever”, exposição de ô que teve a primeira edição em 2004.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/27/morre-kaio-castro-criador-da-vvr-e-do-primeiro-clube-do-onibus-antigo-brasileiro/

O dia 30 de novembro é o mesmo dia da  criação do “Primeiro Clube do Ônibus Antigo Brasileiro” fundado por Antônio Kaio Castro, que morreu aos 68 anos de idade vítima da covid-19 enquanto lutava contra o câncer, em 29 de abril de 2021.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/27/morre-kaio-castro-criador-da-vvr-e-do-primeiro-clube-do-onibus-antigo-brasileiro/

Uma das frases de Bruno Covas foi relembrada na estação

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta