Eletromobilidade

Bolzano, na Itália, recebe 12 Solaris Urbino a hidrogênio

Com esta nova aquisição, cidade passa a ter a maior frota de ônibus a hidrogênio do país, e uma das maiores frotas da Europa

ALEXANDRE PELEGI

A operadora SASA Bolzano, da cidade de Bolzano, comuna na Itália com cerca de 100 mil habitantes, inaugurou um lote de 12 novos ônibus Solaris Urbino hidrogênio.

A SASA (Societá Autobus Servizi D’area) é a concessionária de transporte público por ônibus em áreas urbanas e suburbanas das cidades italianas de Bolzano, Merano, Laives e entre Merano e Lana.

Com esta nova aquisição, Bolzano possui hoje uma das maiores frotas de ônibus com células de combustível da Europa e a primeira na Itália.

Os veículos serão alimentados em um posto de abastecimento de hidrogênio instalado dentro do depósito da empresa de transporte público.

A SASA já opera ônibus a hidrogênio fabricados pela Mercedes-Benz há oito anos.

A Província Autônoma de Bolzano, que juntamente com a União Europeia (UE) contribuiu com 10,2 milhões de euros (65,3 milhões de reais) para o financiamento dos novos ônibus, decidiu co-financiar, como parte do projeto MEHRLIN, a construção do posto de abastecimento de hidrogênio diretamente na garagem da SASA.

O objetivo do projeto MEHRLIN era implantar sete estações de reabastecimento de hidrogênio servindo frotas de ônibus em cidades da Europa, no Reino Unido, Holanda, Itália e Alemanha. O MEHRLIN começou em julho de 2017 e seguiu até o final de 2020.

A diretora da SASA Bolzano, Petra Piffer, garante que os novos ônibus a hidrogênio são parte importante na implementação da estratégia de longo prazo da empresa, que se concentra na conversão da maior parte da frota de ônibus em veículos sustentáveis, ou seja, ônibus a bateria e hidrogênio, até 2030.

A entrega dos 12 veículos segue o primeiro pedido já feito para os ônibus da Solaris a célula de combustível, assinado em junho de 2019.

O veículo elétrico a hidrogênio Solaris Urbino 12 é um ônibus ultramoderno com emissão zero que combina uma pequena bateria de alto desempenho com uma célula de combustível, que alimenta a bateria.

O veículo está equipado com eixo motriz elétrico traseiro fornecido pela ZF, com dois motores de roda com potência máxima de 110 kW cada.

A célula de combustível é alimentada por tecnologia de íon-lítio, com uma energia nominal de 29,2 kWh. A capacidade do tanque de hidrogênio é de 37 kg.

O ônibus tem uma autonomia de cerca de 350 quilômetros, segundo informa o fabricante.

O ministro da Infraestrutura Sustentável e Mobilidade, Enrico Giovannini, aprovou a decisão da Província Autônoma de Bolzano de investir recursos na compra de novos ônibus a hidrogênio. Segundo ele, a opção está em linha com a visão estratégica do Ministério. “A transição ecológica é uma das missões do Plano Nacional de Recuperação e Resiliência. Neste contexto, está previsto um investimento superior a 3 bilhões de euros para a renovação da frota de transportes públicos de ônibus, com a aquisição de veículos elétricos e movidos a hidrogénio para áreas urbanas”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta