Eletromobilidade

Redução de emissões, soluções visando minimizar impactos na atmosfera

VLPs de São José dos Campos (SP)

As cidades estão compreendendo a relevância e a necessidade real de substituir ônibus a combustão por não poluentes, com o fim de melhorar a qualidade do ar, o que impacta diretamente na saúde da população

 

Dado o crescente aumento da concentração de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, o grande vilão das alterações climáticas demonstrado em estudos é o setor de transportes, o qual vem atuando como um dos principais responsáveis pelas emissões deste componente químico no ar. Segundo o relatório Rethinking Urban Sprawl, da OECD (2018), o transporte é responsável por um quarto das emissões globais de carbono e contribui com aproximadamente 50% da poluição do território urbano. Portanto, um dos grandes desafios atuais é o “esverdeamento” do transporte como forma de atender aos objetivos climáticos constantes no Acordo de Paris e na Agenda 2030.

Em todas as partes do mundo, a mobilidade é o grande desafio das cidades. A alta concentração de pessoas nos grandes centros urbanos faz com que a necessidade de garantir que todos possam se locomover de forma rápida, eficiente e sustentável seja um ideal a ser alcançado. Diante deste cenário, os ônibus elétricos representam um grande instrumento para a redução de poluentes locais e de gases causadores do efeito estufa. Na média, cada ônibus a combustão consome 90 litros de diesel em um dia de operação. Sendo assim, cada ônibus 100% elétrico BYD evita, em média, a emissão de 118,7  toneladas de CO2 ao ano na atmosfera, o equivalente ao plantio de aproximadamente 847 árvores por veículo (Considerando 72.000 km rodados/ano).

Neste contexto, as cidades estão compreendendo a relevância e a necessidade real de substituir ônibus a combustão por não poluentes, com o fim de melhorar a qualidade do ar, o que impacta diretamente na saúde da população. Um bom exemplo neste sentido é a cidade de São José dos Campos, no interior paulista, que irá colocar 12 ônibus articulados de 22 metros (VLPs) na Linha Verde, que foi desenvolvida para atender aos modernos conceitos de planejamento urbano e em consenso com as diretrizes do Plano Diretor. O objetivo é promover o desenvolvimento urbano e econômico, preservando o meio ambiente com um TRM (Transporte Rápido de Massa) inspirado nos modelos mais avançados do mundo. O eixo sustentável terá 75 mil metros quadrados e inclui, além do corredor expresso, quatro praças ao longo do trajeto.

Os 12 ônibus articulados, de 22 metros piso baixo, serão produzidos pela BYD em sua fábrica em Campinas (SP), com previsão de entrega para outubro de 2021.

(Com informações fornecidas pela BYD)

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta