Produção de ônibus no Brasil tem alta de 10,6% no acumulado do ano

Licenciamento de ônibus nacionais também apresentou um aumento de 13,2%. Foto: Divulgação / VWCO.

Mês de abril puxou aumento com 1.872 unidades produzidas, em comparação a 396 veículos fabricados no mesmo período de 2020; Mercedes-Benz retomou liderança de mercado

JESSICA MARQUES

A produção de ônibus no Brasil apresentou uma alta de 10,6% no acumulado do ano. O mês de abril puxou este aumento com 1.872 unidades produzidas, em comparação a 396 veículos fabricados no mesmo período de 2020.

As informações foram divulgadas na manhã desta sexta-feira, 07 de maio de 2021 pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Também segundo a Anfavea, a variação de abril deste ano para o mesmo mês de 2020 foi de 372,7%. Considerando o acumulado do ano, foram fabricadas 7.048 unidades de janeiro a abril de 2021, comparadas a 6.370 no mesmo período do ano passado.

O comparativo, porém, é feito com base em um ano de crise. O ano de 2020 foi encerrado com uma queda de 33,5% na produção de chassis.

Relembre: Produção de ônibus fecha 2020 com queda de 33,5%, segundo Anfavea

Neste ano, o setor de ônibus segue sendo afetado pela crise causada pela pandemia de covid-19. Em 2020, as medidas restritivas por conta do vírus tiveram início na última semana de fevereiro.

Confira os números, na íntegra:

LICENCIAMENTO

O licenciamento de ônibus nacionais também apresentou um aumento de 13,2%. Ao todo, foram emplacadas 4.505 unidades neste ano, comparadas a 3.981 no mesmo período de 2020.

“Tivemos em abril 1.200 unidades emplacadas, mantendo a estabilidade do mês de março. Cabe destacar que aproximadamente 28% desse número é relativo ao Caminho da Escola, mostrando a importância deste programa para este volume de ônibus”, avaliou o vice-presidente da Anfavea, Gustavo Rodrigo Bonini.

Confira os números, na íntegra:

RANKING DE MARCAS

Conforme já noticiado pelo Diário do Transporte, a Volkswagen Caminhões e Ônibus havia passado a Mercedes-Benz no ranking de marcas divulgado pela Anfavea.

Contudo, agora a Mercedes-Benz retomou a liderança de mercado, com 1.605 unidades emplacadas no acumulado do ano.

O levantamento da Anfavea considera a quantidade de ônibus emplacados no acumulado do ano. Confira o ranking, na íntegra:

1º) Mercedes-Benz: 1.605 unidades, queda de 26,2%;

2º) MAN/Volkswagen: 1.404 unidades, alta de 62,1%;

3º) Agrale (inclui os miniônibus da Volare): 818 unidades, alta de 66,6%;

4º) Iveco (inclui os miniônibus CityClass): 512 unidades, alta de 422,4%;

5º) Volvo: 141 unidades, queda de 0,7%;

6º) Scania: 19 unidades, queda de 87,2%.

EXPORTAÇÃO

O número de ônibus exportados também apresentou uma ligeira alta. A variação foi de 7,8% na comparação de janeiro a abril de 2021 com o mesmo período de 2020.

Confira os números, na íntegra:

MERCADO DE VEÍCULOS

A produção de autoveículos em abril foi de 190,9 mil unidades, uma queda de 4,7% com relação a março. Contudo, o mês teve três dias úteis a menos que o anterior.

Neste caso, segundo a Anfavea, a comparação de números com abril de 2020 é descabida, pois foi o mês da paralisação geral das fábricas e concessionárias.

Assim, a melhor referência é o volume acumulado do ano, e, no caso dos autoveículos, a produção de 788,7 mil unidades superou em 34,2% o resultado do primeiro quadrimestre do ano passado.

“Devemos ressaltar a resiliência da cadeia automotiva num momento de crise, em especial das áreas de logística, compras e planejamento de produção das nossas associadas”, afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

As vendas internas também tiveram crescimento no quadrimestre, na comparação com produção e exportações. Foram licenciados 175,1 mil veículos em abril e 703 mil no acumulado, uma alta de 14,5% sobre os primeiros quatro meses de 2020.

Caminhões e comerciais leves (picapes, principalmente) tiveram alta acima de 40% no total de emplacamentos de 2021, desempenho bem superior ao de ônibus (13,2% de crescimento) e de automóveis (7,7%).

Confira abaixo a participação de mercado, por segmento:

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta