Início da operação da CPTM entre Jundiaí e Rio Grande da Serra tem problemas de comunicação e passageiros ficam confusos

Estação da Luz estava com novas placas

Estatal disse ao Diário do Transporte que comunicação visual será melhorada com a atualização das placas nas principais estações; Reportagem percorreu o trecho

WILLIAN MOREIRA

Nesta terça-feira, 04 de maio de 2021, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) iniciou um novo serviço para os passageiros que utilizam os trens das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa, unificando a operação destas ligações em uma só, surgindo o Serviço 710.

No “710”, as viagens no trecho entre Jundiaí e Rio Grande da Serra e vice-versa duram em média de 2 horas e 8 minutos sem a necessidade de troca de trem no Brás, buscando assim aumentar a fluidez do transporte e diminuir o tempo da viagem.

A equipe do Diário do Transporte embarcou ainda na madrugada no sentido Rio Grande da Serra para acompanhar o primeiro dia do novo atendimento da companhia, encontrando alguns problemas que prejudicaram a compreensão e por consequência, a viagem de uma parcela dos passageiros.

Já dentro do trem, ao chegar à estação Brás, somente no primeiro carro (vagão), no qual a reportagem estava, onze passageiros entraram e se sentaram, imaginando que o trem fosse retornar para Jundiaí. Porém, após aproximadamente um minuto, o trem fechou as portas e seguiu viagem, sendo que somente após sair, foi avisado nos alto falantes que a composição seguiria para Rio Grande da Serra.

Os passageiros tiveram de ir até a Mooca, próxima estação, de lá embarcar no sentido certo, para Jundiaí.

Outro problema encontrado foi a ausência de pessoas nas plataformas para orientar os passageiros da mudança.

Além disso, a sinalização com as placas nas plataformas, por exemplo, estava atualizada apenas nas estações Luz e Brás, no trecho que compreende as estações Luz e Rio Grande da Serra.

Diante desta confusão criada, apesar de avisos sonoros nos trens e eventualmente nas estações quando a composição se aproximava, nas plataformas não havia funcionários para realizar a orientação correta, inclusive no Brás, ponto principal desta mudança.

Estação Tamanduateí, que é de grande movimento, placas não faziam referência ao novo destino

Ainda em consulta ao site da CPTM, está disponível um arquivo em PDF que contém os intervalos programados da linha nos dias da semana e em diferentes horários.

O que acabou chamando a atenção são os horários dos últimos trens do dia, saindo para Jundiaí às 23h14 e Rio Grande da Serra às 22h54, com previsão de ambos estarem no Brás pouco após a meia noite.

Havia uma duvida quanto ao que aconteceria ao passageiro que embarcasse após estes horários, mas a companhia afirmou que depois deste horário estipulado, os trens continuarão a sair das estações finais, mas com sentido até o final da linha separadamente, no caso a estação Brás.

O QUE DIZ A CPTM:

A CPTM por meio de nota, respondeu alguns questionamentos do Diário do Transporte sobre o Serviço 710, explicando que os problemas na comunicação visual serão gradualmente solucionados com a atualização das placas nas principais estações, mas nas paradas com fluxo menor de passageiros, o destino apontado nas plataformas não será alterado.

A empresa ressaltou que o serviço tem menos de 24 horas de funcionamento e é natural que as pessoas tenham duvidas.

A CPTM disse ainda nota está adotando orientações presenciais dentro dos trens e nos locais de maior embarque e transferência, mas a reportagem não verificou nenhum funcionário informando aos passageiros.

Veja abaixo a resposta na íntegra:

“A comunicação visual para informar a população sobre o Serviço 710, iniciado nesta terça-Feira (04/05), está sendo adequada pela CPTM, e as estações com maior movimento nas Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa estão sendo priorizados. Enquanto essa nova sinalização não é finalizada, a companhia reforça as orientações nos sistemas sonoros nos trens e estações. Vale lembrar, entretanto, que a sinalização é apenas sobre o novo serviço e a comunicação visual permanecerá indicando as últimas estações destas linhas.

O novo serviço da CPTM tem menos de 24 horas, e é natural que nos primeiros dias ocorram dúvidas, mesmo que a companhia esteja fazendo todos os esforços de orientação aos passageiros. Os avisos permanecerão, assim como o atendimento nas estações. A companhia está adotando orientações presenciais dentro dos trens e nos locais de maior embarque e transferência.

Sobre os horários do serviço, é importante destacar que o último trem do Serviço 710 parte de Jundiaí às 22h54, e o último trem parte de Rio Grande da Serra às 23h14. OS trens continuam partindo destas estações até meia-noite, mas circulam apenas nas Linhas 7 e 10, ou seja, encerram as viagens na Estação Brás para que seja respeitado o horário do fim da operação comercial da companhia.

O serviço foi implementado em um dia útil porque aos finais de semana são priorizadas as atividades de manutenção do sistema, motivo pelo qual o serviço foi iniciado na terça-feira, após os anúncios terem sido iniciados na semana anterior.”

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Binho disse:

    Bom dia a todos !!não tive dificuldade nenhuma nesta mudança!!onde foi avisado desde a segunda dia três ,,mesmo no dia quatro em todas as estações de transferência vinha sendo anunciada !! porém o povo fica pensando na morte da bezerra e não presta a atenção!!!

  2. Danilo Meira disse:

    Analisando a tabela, haverá aumento de tempo entre composições em Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Agora, 35 minutos aos finais de semana é uma eternidade. Muitas pessoas trabalham e caso percam o trem serão prejudicadas. Ao que parece, o “padrão Metrô” é coisa do passado…

  3. Ismael Junior disse:

    Pelo tamanho do intervalo aos domingos já se percebe que as eternas obras de modernização continuarão…

  4. Denis disse:

    Boa pra nós eu sinceramente não gostei da mudança pois os trens são antigos e aparenta ser menor também, por isso acho que
    aglomeração é maior.

  5. Alexander Inacio disse:

    Não gostei dos intervalos no sábado e no domingo: 35 minutos é muita coisa. 20 minutos é aceitável. Antes da união, era 16 minutos. Se for pra piorar, melhor manter como estava

  6. Izaias Matias disse:

    Uma dúvida que todos usuários dessa linha tem é se esse DESSERVIÇO será permanentemente.. Sim, desserviço pois pra quem embarca no Brás na parte da tarde e início da noite geralmente vem cansado do trabalho e quer um banco disponível e como a composição já chega cheia de Jundiaí acaba sendo mais que um inconveniente, chaga a ser um transtorno dos mais irritantes. Mais uma vez a CPTM atrapalhando a vida de seus sustentadores.. A idéia foi PÉSSIMA!!

  7. ANDRE FERREIRA GARCIA disse:

    ou seja, dane-se o povo

  8. Telma disse:

    Até chegar na barra funda sao umas 15 estações só de passageiros entrando(embarcando) no horário das 19:00-19:30 qdo chega na BARRA FUNDA nem os assentos reservados são respeitados…..
    Garanto a todos, que nenhuma praia está tão lotada de gente próximas ,umas as outras qto (um vagão da linha RUBI ou 710)
    E AINDA AS AUTORIDADES PEDEM PARA SE EVITAR A *AGLOMERAÇÃO* …….SENSAÇÃO. DE ESTAR NUM BAILE FUNK

  9. Ronaldo silva disse:

    Gostaria muito trabalhar na cptm sempre tive sonho.

Deixe uma resposta