Macaé (RJ) proíbe entrada de fretados de turismo após agravamento da pandemia de Covid-19

Igreja de Sant'anna é um dos pontos de visitação de turistas. Foto: prefeitura de Macaé

Município mantém barreiras sanitárias em pontos estratégicos do município

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Macaé, no Rio de Janeiro, acusou um agravamento da pandemia provocada pelo novo Coronavírus (Covid-19).

Para frear o crescimento do número de casos, a prefeitura optou por reduzir a concentração de pessoas no transporte público, terminais e centro comercial.

As medidas foram definidas por meio do Decreto 098/2021, publicado nessa sexta-feira, 23 de abril de 2021.

Com as novas normas, o município com mais de 260 mil habitantes definiu novos horários das medidas restritivas de proteção à vida a partir da 0h deste sábado (24).

Outra decisão foi a manutenção das barreiras sanitárias em pontos estratégicos da cidade, vigentes desde o dia 19 de março de 2021.

As barreiras sanitárias são instaladas todos os dias da semana, em horários definidos pela Secretaria Municipal de Saúde, no Trevo de acesso ao Parque de Tubos, antes do Terminal Urbano, no sentido Rio das Ostras-Macaé; na rodovia RJ-168 (antes do acesso à BR-101); e na rodovia Amaral Peixoto, Cabiúnas (em frente ao trevo de acesso à Carapebus).

O decreto municipal proíbe também a partir deste sábado (24) a entrada de ônibus e demais veículos de fretamento no Município, “exceto aqueles que prestem serviços regulares de transporte de funcionários de empresas ou para hotéis, cujos passageiros comprovem, neste caso, reserva de hospedagem para fins profissionais”.

No caso do transporte público e particular o motorista deverá fazer uso obrigatório de máscara de proteção individual e só permitirá o ingresso de passageiro caso este esteja utilizando o equipamento, sendo vedado o transporte de passageiros em pé.

Leia o Decreto na íntegra:


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta