Agepan intensifica fiscalização contra o transporte clandestino no Mato Grosso do Sul em abril

Foto: Divulgação Agepan

Alvo das ações são as vans e viagens ilegais entre as cidades

WILLIAN MOREIRA

A Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) divulgou um balanço das ações de fiscalização contra vans e outros veículos de transporte clandestino realizada no Mato Grosso do Sul na primeira quinzena de abril.

Na região de Ponta Porã a fiscalização buscava também coibir os veículos que transportavam pessoas para compra na fronteira do país, realizando várias autuações. Já na região de Nova Andradina foi observado um aumento significativo do transporte não autorizado com carros particulares de aplicativos, necessitando um aumento da fiscalização. Mesmo problema encontrado na rota entre Corumbá e Aquidauana,

As ações ocorrem também no perímetro urbano de Bataguassu, terminal rodoviário de Brasilândia, postos da Polícia Rodoviária Federal de Sidrolândia, Terenos e Nova Andradina, posto da Polícia Militar Rodoviária de Vista Alegre, Aquidaban, e região de Três Lagoas.

Outro ponto verificado, isso já nos ônibus, é se o limite de transporte máximo de 50% da capacidade está sendo seguido.

Em Nova Andradina, ônibus de linhas convencionais foram autuados pela falta de emissão dos bilhetes de passagem e ônibus de fretamento também foram notificados por falta de registro do veículo ou de ausência da autorização.

Em Naviraí/Ivinhem, um veículo de fretamento transportando trabalhadores foi flagrado sem registro na Agepan, recebendo uma autuação e multa.

Um ônibus da empresa Seriema Transportes que prestava serviço para o aplicativo Buser também foi autuado por cobrar valores indevidos, já que empresas sem autorização da Agência não podem cobrar pelo percurso, mas sim realizar apenas o serviço de fretamento.

Notificação parecida foi aplicada em um micro-ônibus da LF Transporte, flagrado levando oito passageiros sem autorização de fretamento pela Agepan.

Já no posto da Polícia Rodoviária Federal em Miranda, dois autos infracionais foram feitos para carros de aplicativo que faziam o trajeto entre Corumbá a Campo Grande, o que é proibido já que por regulamento, este tipo de transporte precisa se encaixar nas determinações de cada município, sendo proibido trechos intermunicipais.

Ainda ocorreram operações em Bataguassu e Brasilândia, encontrando irregularidades de fretamento continuo não autorizado entre Santa Rita do Pardo e Bataguassu.

A Agepan seguirá com fiscalizações em diferentes pontos do estado para coibir as irregularidades no transporte.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta