Setor de trilhos transportou 1,6 bilhão de passageiros a menos em 2020, sete vezes a população do Brasil

Balanço do Setor Metroferroviário 2020-2021 da ANPTrilhos aponta que a queda na quantidade de passageiros transportados em 2020 foi a maior já identificada no transporte de passageiros sobre trilhos no Brasil

Balanço estima que de março a dezembro de 2020 a perda de receita tarifária foi de R$ 8 bilhões

ALEXANDRE PELEGI

A pandemia de Covid-19 provocou fortes perdas para o setor de transporte público coletivo.

Um balanço lançado pela Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos – ANPTrilhos estima que a expressiva redução da demanda teve como consequência imediata a perda de R$ 8 bilhões em receitas tarifárias, isso entre março e dezembro de 2020.

Esse desequilíbrio na relação das receitas com os custos proporcionou a maior crise econômico-financeira já vivida pelo setor de transporte de passageiros sobre trilhos no Brasil, atingindo todos os operadores, sem exceção”, informa o Balanço do Setor Metroferroviário 2020-2021.

A queda na quantidade de passageiros transportados em 2020, na comparação com 2019, no período de 12 meses, foi a maior já identificada no transporte de passageiros sobre trilhos no Brasil, recorde negativo de -46,7% dos passageiros em relação à demanda de 2019. Se em 2019 haviam sido transportados 3,3 bilhões de passageiros, este número despencou para 1,7 bilhão em 2020.

Tomando-se apenas os meses da pandemia, de março a dezembro de 2020, a situação foi mais alarmante, com redução de demanda de -55,9% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Mesmo assim, os números do setor seguem impressionantes. Foram transportados em média 5,8 milhões de passageiros por dia útil no ano passado.

Mas quando de olham as perdas, pode-se ter uma dimensão real da grave crise do transporte de passageiros sobre trilhos no país. A perda de passageiros transportados em 2020, calculada em 1,6 bilhão de passageiros, corresponde a sete vezes a população do país.

Do total de passageiros transportados em 2020 (1,7 bilhão), São Paulo contribuiu com 1,3 bilhão. Tomando-se apenas os meses de março a dezembro de 2020, o sistema de trilhos da Região Metropolitana de São Paulo (Metrô e CPTM) teve -55,4% passageiros transportados.

O sistema do Rio de Janeiro (Metrô Rio e SuperVia) transportou 252,6 milhões de passageiros, e no período da pandemia apresentou queda de -57%.

Já na região Nordeste foram 146,3 milhões de passageiros transportados, com queda de -52% de março a dezembro de 2020.

A rede metroferroviária brasileira se manteve estável em 2020, sem aumento de quilometragem ou número de linhas em relação a 2019: 1.116,5 quilômetros e 48 linhas.

O setor de trilhos trouxe benefícios sociais importantes para a sociedade, ressalta o Balanço da ANPTrilhos, como a redução de 1,6 milhões de toneladas de redução na emissão de poluentes na atmosfera e a economia de 800 milhões de litros de combustível fóssil.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta