Eletromobilidade

Espanha destinará R$ 2,7 bilhões para subsidiar compra de carros elétricos; programa visa fortalecer a indústria do país e ampliar pontos de recarga

Uma das metas é passar dos atuais 7.700 pontos de carregamento para 100.000 em apenas dois anos

Programa foi aplaudido pelo setor automotivo. O presidente da associação dos fabricantes afirmou que resultados trarão maior estabilidade para a indústria, e estima que as vendas de veículos elétricos cresçam 75% já em 2021

ALEXANDRE PELEGI

A Ministra da Transição Ecológica da Espanha, Teresa Ribera, apresentou nesta sexta-feira, 09 de abril de 2021, detalhes do novo programa de incentivos à compra de carros eléctricos, a hidrogénio e híbridos plug-in.

O programa terá de imediato 400 milhões de euros, cerca de R$ 2,7 bilhões. A dotação, no entanto, poderá chegar até 800 milhões de euros (R$ 5,4 bilhões) até 2023.

Esta é a terceira versão do plano, e foi anunciada já em fevereiro deste ano.

O “novo Plano MOVES” terá orçamento proveniente de fundos europeus para a recuperação da crise do coronavírus.

O objetivo é ambicioso: o governo espanhol pretende alcançar a marca de 250 mil veículos elétricos no país até 2023, chegando até 2030 em cinco milhões de carros com emissões zero.

Esta versão do plano MOVES, apesar de promover a eletromobilidade em geral, tem dois eixos principais: os incentivos à compra e também à ampliação dos pontos de recarga, necessária para obter uma infraestrutura potente que torne os carros elétricos mais viáveis ​​na Espanha.

A principal diferença entre esta versão e a anterior é que os subsídios para compra serão maiores, de até 7.000 euros (R$ 47,4 mil) para a compra de automóveis elétricos.

Isto representa 1.500 euros mais do que o máximo oferecido pela versão anterior do programa, que oscilava entre 4.000 e 5.500 euros no caso de emissões zero.

Os bônus para aquisição dos veículos elétricos estão disponíveis desde hoje, 10 de abril.

Além disso, o programa espanhol oferece a possibilidade de sucateamento ou não de um veículo antigo com sete ou mais anos de idade, como já era o caso da edição anterior, com o objetivo de promover a renovação do parque automobilístico espanhol. Mesmo não sendo uma exigência, como na primeira versão do MOVES, a possibilidade permitirá que mais compradores aproveitem os incentivos.

Desta forma, os valores de subsídio para carros elétricos, bem como carros a hidrogênio e elétricos com autonomia estendida (com autonomia elétrica de mais de 90 km) serão os seguintes:

– 7.000 euros (incluindo o veículo antigo como sucata).

– 4.500 euros (sem sucata).

As vans elétricas receberão subsídios na compra entre 9.000 euros (com sucata) e 7.000 euros (sem sucata).

Podem se beneficiar desses incentivos tanto indivíduos e trabalhadores independentes, como empresas privadas, cooperativas de proprietários e administrações públicas.

O outro eixo principal do plano é ampliar a infraestrutura de carregamento. A meta é sair dos atuais 7.700 pontos de carregamento para 100.000 em apenas dois anos.

Como consequência, o governo espanhol espera que este novo programa gere um total de 40.000 novos empregos ao longo de toda a cadeia de produção, contribuindo com mais de 2,9 bilhões de euros para o PIB, algo como R$ 20,3 bilhões.

O programa foi aplaudido pelo setor automotivo. José Vicente de los Mozos, presidente da associação dos fabricantes, Anfac, avalia que o auxílio vai durar até 2023, o que significará maior estabilidade para a indústria, permitindo ainda que as vendas de veículos elétricos cresçam 75% já em 2021.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Com informações de agências internacionais, em especial do site espanhol Motorpasion

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta