Campinas (SP) vai realizar nova contratação emergencial para o transporte coletivo

Foto: Lucas Targino de Carvalho/Ônibus Brasil

Setor jurídico da prefeitura entendeu que não é mais possível prorrogar o contrato com as atuais operadoras

WILLIAN MOREIRA

O secretário de Transporte da cidade de Campinas, em São Paulo, Vinicius Rivarete, concedeu uma entrevista para a Rádio Bandeirantes nesta sexta-feira, 2 de abril de 2021, e informou que a prefeitura fará uma nova licitação para o transporte coletivo, mas antes um novo contrato emergencial precisará ser assinado.

De acordo com o líder da pasta o setor jurídico da prefeitura entendeu que não é mais possível prorrogar o contrato atual.

Com outro contrato emergencial assinado, o Poder Público trabalhará para criar uma licitação mais complexa que inclua o sistema de BRT (Bus Rapid Transit) na operação pelo vencedor do certame.

“Se você pesquisar as licitações que vem ocorrendo em nosso país a grande maioria vem sendo judicializada, a grande maioria das cidades grandes vem tendo dificuldades em elaborar uma nova licitação.

Nós estamos em um momento complicado porque existia a possibilidade de aditar esse contrato de concessão e a equipe jurídica da Prefeitura Municipal de Campinas entendeu por bem por não aditar o contrato. Essa é uma medida que vejo como inteligente, a gente não dar seguimento nisso e estamos trabalhando em um novo edital de licitação e a gente deve publicar isso ainda neste ano (…) estamos trabalhando muito para isso porque esse novo edital de licitação tem que ter a operação do BRT e é isso que a gente incluindo nele”, disse o Secretário de Transportes, Vinicius Rivarete.

O secretário ainda afirmou que a única opção que resta é uma contratação emergencial para dar tempo de realizar esta nova licitação que abarque a operação do BRT.

Para Vinícius também é necessário incluir outras ações de mobilidade, como a criação de semáforos inteligentes e faixas exclusivas para os ônibus, e citou como exemplo a capital paulista, onde veículos comuns são multados se trafegarem em corredores exclusivos para o transporte coletivo, algo que está em estudo para ser copiado e implantando na cidade.

O secretário destacou em especial o caráter educativo e a conscientização dessas medidas, além de permitir aos coletivos terem maior liberdade para trafegar nas suas respectivas faixas.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta