Ribeirão Pires (SP) prorroga medidas contra covid-19 até 11 de abril sem restrições a ônibus, mas com diferenças em relação ao plano de Doria

Ônibus municipal de Ribeirão Pires da Rigras/Suzantur

Mercados, padarias e lojas de conveniência funcionam até às 20h. Retirada de alimentos nos estabelecimentos fica permitida até 20h. Shoppings, mini shoppings e galerias comerciais são autorizados das 8h às 17 com 30% de ocupação

ADAMO BAZANI

A cidade de Ribeirão Pires, no ABC Paulista, prorrogou as medidas de restrição para conter o avanço da covid-19, mas com algumas diferenças em relação às regras originais da fase emergencial do Plano São Paulo, da gestão do governador João Doria.

O decreto assinado pelo prefeito Clóvis Volpi, foi publicado nesta sexta-feira, 02 de abril de 2021, e traz as normas que entram em vigor na segunda-feira (05) e vão até o dia 11 de abril.

Os ônibus municipais não terão restrições para operar, diferentemente de outras cidades do ABC Paulista, como em Santo André, cuja operação permanecerá suspensa das 22h às 04h na semana pós feriado.

Entre as medidas menos restritivas em relação ao Plano São Paulo de Doria é a permissão do funcionamento de shoppings, mini shoppings e galerias comerciais, que serão autorizados das 8h às 17h com 30% de ocupação.

No decreto original do Governador João Doria, o atendimento presencial nestes tipos de estabelecimento não é permitido.

Outro ponto que o plano estadual proíbe e o decreto de Ribeirão Pires libera é a chamada retirada no balcão, o take away , que na cidade fica liberada até às 20h para a maioria das atividades.

O decreto municipal diferencia a prática do drive-thru (retirada dentro do automóvel), entretanto, o horário-limite é o mesmo: 20h.

O drive thru e o take away só ficam proibidos em Ribeirão Pires para bares e similares.

Já os supermercados, mercados e hortifrútis que não têm horário limitado no decreto de Doria, em Ribeirão Pires vão funcionar somente até 20h. Em Santo André, por exemplo, essa limitação é às 19h.

O decreto municipal prevê ainda multa de R$ 20 mil e suspensão da licença e lacração do estabelecimento que descumprir as normas.

Veja os principais pontos:

Ônibus, Táxis e aplicativos:

Liberados

Hospitais:

Liberados

Clínicas Médicas, odontológicas, terapêuticas:

Liberadas:

Veterinárias e banho/tosa:

Liberadas

Farmácias e drogarias:

Liberadas

Shoppings, mini shoppings e galerias comerciais: autorizada a abertura, observados os seguintes critérios, sujeitos à fiscalização:

  1. a) horário de funcionamento limitado das 08h às 17h
  2. b) limitação de 30% (trinta por cento) da capacidade estabelecida no AVCB;
  3. c) proibição de acesso dos clientes às instalações internas das lojas, bem como o consumo no local;
  4. d) controle do acesso pela equipe de segurança dos estabelecimentos.

Formas de consumo:

Ficam permitidos os serviços de entrega de mercadorias via delivery (entrega a domicílio) 24 horas, take away (retirada no estabelecimento), limitado até às 20:00 horas e drive-thru (retirada dentro do automóvel), limitado das 5:00 às 20:00 horas, sendo vedado o acesso dos clientes às instalações internas, bem como o consumo no local.

Óticas:

Permitido o funcionamento apenas deste segmento, mediante agendamento, no horário compreendido entre 10:00 e 15:00 horas e limitação de 30% (trinta por cento) da capacidade

Lojas Ortopédicas:

Permitido o funcionamento apenas deste segmento, mediante agendamento, no horário compreendido entre 10:00 e 15:00 horas e limitação de 30% (trinta por cento) da capacidade

Hotéis e outros meio de hospedagem;

Liberados

Bancos e lotéricas:

Liberados

Serviços de segurança pública e privada:

Liberados

Meios de comunicação social:

Liberados

O que não pode ter atendimento presencial:

I – Comércio e serviços em geral;

II – Restaurantes, lanchonetes e similares;

III – Bares e similares;

IV – Salões de beleza e barbearias;

V – Lojas de material de construção;

VI – Academias de esportes de todas as modalidades;

VII – Clubes sociais e esportivos;

VIII– Eventos, convenções, atividades culturais e similares;

IX – Cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo (podendo apenas permanecer abertos).

Veja o decreto na íntegra:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta